Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Évora: o Recanto de Diana

Janeiro 30, 2017

diana1.JPG

Esta cidade com cerca de 50000 habitantes, capital de município e de distrito está situada na região centro do nosso Alentejo, mais propriamente na sub-região do Alentejo central. Évora é um gigante município com 1307 km2 o que a torna no 5º maior município português.

Terra de extrema beleza é por muitos conhecida como cidade-Museu, devido ao seu centro histórico muito bem preservado e aos muito ricos monumentos. Évora é a única cidade portuguesa membro da rede de Cidades Europeias mais antigas. O seu centro é considerado desde 1986 Património Mundial pela UNESCO.

A História de Évora é muito antiga, remonta mesmo ao período megalítico, bem visível nos monumentos dessa época que circundam a cidade como a anta do Zambujeiro e o Cromeleque dos Almendres. Não se consegue comprovar mas calcula-se que Évora cidade tenha surgido antes dos romanos.

Segundo reza a lenda popularizada por André de Resende (1500), esta cidade terá sido sede das tropas do general romano Sertório que em conjunto com os lusitanos enfrentaram o poder de Roma. Não sabemos se será verdade, mas a certeza da ligação desta cidade a Roma está bem visível nas ruínas do Templo de Diana.

Évora tem um património riquíssimo. Apresento algumas que na minha opinião são obrigatórias de visitar.

Visite o Templo de Diana, pois é sem dúvida um dos monumentos do período romano mais importantes do nosso país. Terá sido construído no século I para homenagear o imperador e foi-lhe atribuído o nome de Templo de Diana posteriormente, talvez pela ligação da cidade à caça.

diana2.JPG

 A Sé de Évora envergando a sua arquitetura gótica, foi construída nos séculos XIII e XIV, uma das catedrais medievais mais importantes do nosso país, construída à semelhança da Sé da capital. Atenção aos horários pois rapidamente pode perder a hipótese de subir até ao terraço onde obtém uma impressionante visão da cidade.

O Palácio de D. Manuel é uma obra prima da arquitetura manuelina e renascentista, que facilmente pode observar até o percorrer dos jardins públicos.

se.JPG

 A Igreja de São Francisco mandada erigir por D. João II e terminada por D. Manuel mistura os estilos góticos e manuelino. Detalhe principal da abóbada de pedra e do altar mor.

O Convento dos Loios é um exemplo também do estilo gótico e manuelino. Hoje alberga a pousada dos loios onde pode passar uma noite ou degustar um manjar de reis no seu restaurante.

Para finalizar não poderíamos deixar de visitar A Capela dos Ossos situada na Igreja de são Francisco, data do século XVII e tem a particularidade de ser totalmente forrada com ossos humanos.

“Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”

ossos.JPG

Além do Património histórico que esta terra oferece muitas são as atividades que pode fazer culturalmente, socialmente ou gastronomicamente.

Comecemos por um passeio não nos “tuk tuks” que enchem a capital lisboeta, mas sim um passeio num automóvel clássico que o espera na praça principal e que consigo pode levá-lo a conhecer a cidade.

Depois não se esqueça de passear pela Praça do Rossio, ou do Giraldo, aqui pode conviver com os locais, ou fazer umas comprinhas quer de produtos típicos da região ou qualquer produto que imaginar – é como se estivesse num centro comercial a céu aberto.

ruas.JPG

 Antes de finalizar este passeio aconselho a visitar pela manhã o mercado municipal de Évora, mesmo às portas da capela dos Ossos, onde pode encontrar vinho, azeite, queijos ou produtos de charcutaria da região que detêm extrema qualidade.

Não pode deixar de experienciar e apreciar a cultura alentejana, e para isso passe no Espaço Celeiros às quartas-feira para ouvir o cante alentejano considerado património imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Consulte antes de partir a agenda cultural da cidade e aprecie um espetáculo de teatro, musical, exposições ou concertos que ocupam a vida cultural da cidade. Seja na Arena de Évora, na Universidade de Évora, no Fórum da Fundação Eugénio de Almeida ou no Teatro Garcia de Resende.

Portanto as atividades de lazer que pode fazer são mesmo muitas, além de que pode apenas relaxar a ouvir os passarinhos e apreciar a beleza das planícies alentejanas.

evora1.JPG

 Além da história, do património e das atividades lúdicas que esta terra oferece, um ex-líbris da região é sem dúvida a sua gastronomia. Aqui pode optar por pratos de carne com extrema qualidade e muito variada, pelo peixe de rio ou pelos doces tradicionais que são divinais. O javali, o porco, e o borrego são os príncipes, deixando o simples pão como o rei da gastronomia alentejana.

Prove os mais variados pratos desde as entradas – queijos, enchidos, azeitonas e presunto; aos pratos principais como o ensopado de borrego, sopa de cação, açorda à alentejana, migas com carne de porco, sargalheta, gaspacho ou pratos de caça: javali, lebre e perdiz.

Acompanhe o nosso blog e descubra as preciosas iguarias que provámos em todo o nosso roteiro.

E para degustar todas estas iguarias nada melhor do que visitar alguns dos melhores restaurantes da região. Elejo 2 restaurantes que primam pela qualidade.

O Restaurante Degust’ar, situado no hotel M’ar de Ar Aqueduto, antigo palácio dos Sepúlvedas que mistura a cozinha alentejana, mas que desenvolve criativamente esta gastronomia misturando-a com influências mediterrânicas. Tudo isto com o toque do chefe António nobre.

Se conseguir prove o menu de degustação, são vários pratos que lhe vão ser servidos sempre acompanhados de vinhos de extrema qualidade da região.

O Restaurante Malagueta, ou melhor será dizer o cantinho dos petiscos, onde pode apreciar produtos típicos alentejanos no mais natural possível. Comida caseira que mostra o verdadeiro sabor do Alentejo.

Depois temos a doçaria diversa alentejana mas não deixe de passar no Café da Arcada e prove as típicas Queijadas de Évora, vai valer a pena as calorias a mais.

Está comprovado que a gastronomia é um dos pontos fortes desta região, aliás além do turismo são exatamente atividades como a vinha, a agropecuária e a agricultura que são as principais atividades económicas de Évora.

Depois de tantas atividades e passeios é hora de relaxar e nada melhor que optar por um dos hotéis e espaços de turismo que esta zona oferece.

Ficámos hospedados no Évora Hotel, um hotel simples e familiar e com uma boa relação qualidade/preço. Acompanhe a nossa crítica no blog.

Évora tem assim muito para oferecer e muito para ser descoberto. É um local fabuloso em qualquer altura do ano desde os meses mais frios, aos meses de Verão.

descobrir portugal.jpg

 

Roteiro de Viagem Alentejo Central em Descobrir Portugal

Janeiro 30, 2017

Alentejo Central 2.jpg

Vamos aproveitar o fim de semana para Descobrir Portugal, a escolha recaiu sobre o Alentejo central, mais propriamente o distrito de Évora e os seus concelhos.

O nosso roteiro foi o seguinte:

Dia 1

Partida de Lisboa pelas 16H30 com destino a Montemor-o-Novo, cerca de 103km/ 60 min, visita ao Castelo de Montemor, Santuário Nossa Senhora da Visitação e centro da cidade.

De seguida partida para Évora, cerca de 30km/ 30 minutos, onde iremos efetuar check in no Evora Hotel e de seguida saída noturna para deambular pela cidade e jantar num dos melhores restaurantes da cidade Restaurante Degust'Ar do Hotel Mar D'ar Aqueduto.

Dia 2

De manhã conhecer a cidade de Évora com os principais locais a visitar: Capela dos Ossos, Igreja de São Francisco, Templo de Évora, Sé Catedral, mercado muncicipal e Praça do Giraldo.

De seguida partida em direção a Portel, cerca de 63km/ 50minutos, mais propriamente na aldeia da Amieira para almoçar no Restaurante Panorâmico da Amieira Marina e posteriormente para embarcar num cruzeiro pela Barragem do Alqueva.

Após o cruzeiro iremos até Reguengos de Monsaraz onde iremos conhecer o castelo, Igreja Matriz, Paços do Concelho, e torre de menagem do Castelo onde assistiremos ao por do sol. Aproveitaremos a viagem de regresso e pare nas aldeias vizinhas ond epoderá adquirir artesanato dos próprios artesãos.

Regresso a évora para Jantar, no típico e bastante acolhedor Restaurante Malagueta, numa pequena ruela perto da sé de Évora.

Dia 3

Após o pequeno-almoço saída de Évora em direção a Vila Viçosa, cerca de 57km/ 50min, passando antes pela cidade do Redondo para visitar o convento de São Paulo e Castelo do Redondo. De seguida almoço em Vila Viçosa no Restaurante Café Restauração e visita ao palácio Ducal, Castelo de vila viçosa e Santuário de Nossa Senhora Conceição.

Após a visita a esta bela cidade regresso a Lisboa com passagem pela cidade de Borba, Estremoz (20km/ 22min), e Arraiolos (44km/ 35 min).

Aproveite para levar algum artesanato típico neste passeio.

Acompanha tudo em Descobrir Portugal

descobrir portugal.jpg

 

 

 

Évora Hotel - critica de Descobrir Portugal

Janeiro 30, 2017

evorahotel.jpg

 Um hotel familiar situado à entrada de Évora, que tem como príncipio proporcionar aos seus hóspedes a verdadeira alma alentejana.

Celebra este ano 25 anos de existência mas têm-se mantido atualizado na decoração dos espaços comuns e nos serviços que presta aos seus clientes.

Poderá aqui desfrutar de um centro de wellness com diversos tratamentos de estética e massagens, piscinas exteriores e interior aquecida, bem como jacuzzi e sauna.

Os seus restaurantes oferecem duas alternativas bem distintas – O Restaurante Sol Poente com cozinha tradicional que pode ser servida à carta ou em buffet e o Restaurante Naturalliving com uma cozinha mais alternativa.

O hotel disponibiliza ainda parque gratuito, bem como internet wireless em todos os locais e serviço de babysitting.

No Évora Hotel pode ainda ter contacto com os famosos vinhos alentejanos na loja que o próprio hotel disponibiliza.

O hotel disponibiliza 170 quartos e suítes a diversos preços. Sendo que pode optar para vista da planície, jardim ou piscinas sendo que todos detêm varanda privativa. Os quartos, mesmos os mais simples são espaçosos e confortáveis, no entanto a decoração já está um pouco ultrapassada sugere-se uma modernização.

Pontos francamente positivos: relação qualidade/preço e simpatia dos funcionários

Para um hotel 4 estrelas não esperava o serviço de chinelos, roupões e toalhas para a piscina interior conforme é disponibilizado.

Pontos a melhorar: modernização dos quartos e da zona da piscina interior

Com preços que variam desde os 60€ noite, são várias as opções... 

Pontuação:

Localização do Hotel – 3/5

Funcionários 4/5

Serviços 4/5

Limpeza 4/5

Conforto 4/5

Relação qualidade/preço 4/5

descobrir portugal.jpg

 

Descobrir Portugal: Amieira e o Alqueva

Janeiro 28, 2017

Hoje de tarde foi dia de descobrir a barragem do Alqueva, mais propriamente Amieira. Esta pequena aldeia alentejana onde os touros e a aficion se misturam com os montes verdejantes de um alentejo invernoso, onde as aguas calmas do Alqueva abrigam barcos de recreio. Almoço sobre o Alqueva no restaurante panoramico, lá fora o frio e a beleza, lá dentro o sabor dos tradicionais pratos alentejanos. Mais novidades da amieira em breve... Acompanha tudo com o tag Descobrir Portugal

IMG_20170128_152350.jpg

 

IMG_20170128_153338_2.jpg

 

Descobrir Portugal: Montemor-o-novo

Janeiro 27, 2017

E começou a primeira aventura de Descobrir Portugal por terras alentejanas. O primeiro passo para conhecer o que temos de belo e bom pertinho de nós. Depois de mais uma sexta-feira de trabalho, partir de Lisboa em direcção a Montemor-o-novo, pequena cidade centro alentejana que apesar do pouco desenvolvimento e da pouca população é um dos maiores municípios portugueses em área geográfica. Aproveite o contacto com as simpáticas gentes, a simplicidade da cidade, a brancura das casas, e o avistar dos telhados e janelas rodeadas de azul. Depois suba ao principal ponto turistico da cidade, o castelo de Montemor. Vá até ao centro de interpretação ou às belas igrejas. O frio deste Inverno agreste que queima a pele, mas o por do sol lindo que aquece a alma. Depois da breve paragem as rotas do mundo partem a direcção a Évora.

IMG_20170127_174647.jpg

 

IMG_20170127_175132.jpg

 

descobrir portugal.jpg

 

Before They, ou Antes de nós lixarmos tudo

Janeiro 27, 2017

tribo.jpg

Before They Pass Away é uma colecção de retratos da autoria do fabuloso fotógrafo britânico Jimmy Nelson, onde este capta o estilo de vida de cerca de 30 tribos indígenas, que correm o risco de desaparecer ameaçadas pela globalização.

Jimmy percorreu assim os 4 cantos do planeta, fotografando, ou melhor será dizer documentando as várias tribos, desde os gaúchos da Argentina até aos Chuckchi na Sibéria.

Este trabalho obrigou Jimmy a passar 4 anos da sua vida junto destas tribos, passando cerca de duas semanas com cada um dos seus objetos fotográficos. Para captar esses momentos e essas gentes utilizou uma câmara analógica de placa com 50 anos.

Se quiseres saber mais o melhor é mesmo visitares a página: www.beforethey.com, onde poderá apreciar a arte deste visionário e até adquirir um postal, calendário ou mesmo o livro completo da coleção. Os preços são vários desde os 49.90€ até aos 128€.

Aprecia esta arte fenomenal e aprecia principalmente estas culturas que correm o risco de desaparecer.

Mais do que nunca é importante que cada um abrace e proteja a sua própria cultura.

fotografia de Jimmy Nelson

 

Descobrir Portugal : Alentejo Central

Janeiro 27, 2017

Começa hoje o primeiro capítulo de Descobrir Portugal, uma serie de roteiros pelos mais bonitos locais deste nosso pedacinho de terra. Este primeiro post vai ser sobre o Alentejo Central, mais propriamente sobre o concelho de Évora. Vou partir à descoberta das planicies alentejanas, das suas tradições, da sua gastronomia, da sua arquitectura, das suas paisagens, dos seus monumentos mais emblemáticos. Rotas do mundo por Portugal

descobrir portugal.jpg

 

La La Land - O filme do ano

Janeiro 26, 2017

LaLALAnd.jpg

Estreia hoje nas salas de cinema portuguesas o tão falado filme de Damien Chazelle La La Land, que a tradução portuguesa teimou em acrescentar ao título melodia do amor.

A história romântica em que se baseia o filme é simples, prática e recorre às premissas básicas de um romance musical. Aqui a diferença é a busca pela perfeição na luz, na escolha musical, no guarda-roupa e na fotografia. São estas questões técnicas que imprimem a beleza visual de La La Land.

Se é fã de musicais, este será sem dúvida o filme de 2016 (2017 em Portugal) a não perder, mas não esteja à espera de algo parecido com “Os Miseráveis”, esteja certo que vai encontrar a magia dos clássicos musicais dos anos dourados de Hollywood.

Se está à espera da melhor história do ano com um argumento inovador é melhor esquecer, mas La La Land é sem dúvida uma obras simples e bela, que o vai deixar feliz e a sonhar. Só os tolos não sonham.

A contribuir imenso para este argumento de Damien Chazelle, brilham Ryan Gosling e Ema Stone como protagonistas e as fantásticas trilhas sonoras de Justin Hurwitz.

Premiado com prémio de melhor atriz em Veneza, com sete galardões nos Globos de Ouro deste ano (melhor filme, ator, atriz, realizador, argumento, banda sonora e canção) estabelecendo assim novo recorde, com 11 indicações aos Bafta e com a impressionante marca histórica de 14 nomeações aos Óscares, La La Land vai ser o filme sensação.

 

Cem Anos de Solidão: O Romance Inevitável

Janeiro 26, 2017

100anossolidao.jpg

 Gabriel Garcia Marquez, escritor colombiano e Nobel da literatura, já faz parte da minha biblioteca há diversos anos e aprecio o forte realismo sul americano que imprime nas suas obras. “O amor nos tempos de cólera” e “Memórias das minhas putas tristes” são dois dos livros deste autor que devorei e que me marcaram.

Mas desconhecendo a razão, recusei-me sempre a ler a considerada obra prima do mestre Garcia Marquez, talvez por não gostar muito de ir atrás dos rebanhos e das modas, mas hoje num daqueles acasos, numa bomba de gasolina enquanto se espera na fila para fazer o pagamento vi ao longe a capa branca da nova coleção de livros da RTP e bem no centro destacava-se o título “Cem anos de Solidão”.

Não hesitei, comprei-o e anseio pelo primeiro dedilhar por entre as páginas deste obra que celebra este anos 50 anos de existência.

Talvez tarde? Talvez no momento certo? Jorge Ruffinelli chamou-o de romance inevitável... E agora chegou a que adiava há muito.

Debaixo das chuvas que inauguram verdadeiramente o Inverno, Cem anos de solidão está pronto para me mostrar as suas histórias.

logo com assinatura cinza.jpg

 

Pág. 1/2

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D