Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Uma Viagem ao Bairro Vermelho de Amesterdão

Março 09, 2018

bairro vermelho.jpg

 

Um mundo vermelho de prostitutas nas suas montras, clientes com tesão que procuram divertimento e amor, crianças que por ali percorrem as ruas para irem à escola, igrejas que outrora albergavam a religião cristã no centro da vida boémia.

 

Tudo isto pode parecer estranho mas não é. Este é o bairro Vermelho de Amesterdão.

 

Amesterdão desde os primórdios da cidade que é uma terra virada para o mar com pescadores e marinheiros. Era o centro da vida comercial marítima, os seus portos recebiam diariamente milhares de homens desejosos de comida, bebida e companhia.

 

Ora esta é a principal razão para ter surgido o Bairro Vermelho nesta cidade, atrás de oportunidade de negócio começam a instalar-se tabernas para alimentar os muitos marinheiros, tascos para lhes dar de beber e mulheres para aquecerem os homens nas frias noites de inverno.

 

Naquela cidade as jornas rapidamente se esfumaçavam, e por ordem de prioridade as meninas que se sentavam nos joelhos dos marinheiros dentro das tabernas faziam os mesmos não gastar tanto dinheiro em bebida.

 

Ao fim de pouco tem essas mesmas meninas foram expulsas de dentro das tabernas e postas na rua. A prostituição de rua comum a todas as grandes metrópoles do século XV era enorme mas em Amesterdão o frio também e a perseguição policial.

 

Rapidamente essas mulheres começaram a hospedar-se nos prédios da zona e ali começaram a atender os clientes. Os homens já sabiam sempre que viam ramos de flores nas janelas, lá dentro encontrariam rameiras.

 

O bairro foi desenvolvendo-se e atrás dos pecadores chega a igreja, mas inicialmente sem sucesso, pois os homens vinham à procura de pecado, e as prostitutas precisavam de pecar para viver.

 

Mas como em Amesterdão tudo pode ser um negócio, rapidamente a igreja fez uma parceria com as meninas, elas teriam de pecar os corpos dos homens para posteriormente eles irem pedir absolvição à igreja e esta salvar as almas dos mesmos.

 

Assim rapidamente tudo começou a funcionar até a igreja. Agora um homem mal aportava em Amesterdão dirigia-se à igreja, pagava o seu perdão, depois comia, bebia e pecava.

 

As rameiras deixaram de pôr os seus ramos às janelas para passarem a pôr os seus corpos.

 

Hoje é um dos pontos turísticos da cidade mas muito há que descobrir por entre estas ruas e canais. Aqui mulheres trabalhadoras independentes fazem um serviço legal e pagam impostos sobre o mesmo.

 

Com segurança e higiene qb, os homens conseguem aquilo que querem, como diria uma criança que mora na zona: Aquelas mulheres tratam de homens tristes para ficarem contentes.

 

E como é habitual na comunidade holandesa e em especial em Amesterdão, tudo é tolerante, tudo merece respeito, a minha liberdade é enorme e só acaba quando choca com a tua liberdade, por isso para ires ao Bairro Vermelho livremente não magoes a liberdade de quem lá anda, nem as prostitutas, nem os clientes, nem os residentes.

 

Aquelas montras vermelhas (ou azuis: em caso de transgenero ou travesti) estão ali à espera de quem as visitar. Eu aconselho todos a ir, especialmente a conhecer o que as motiva, a tentar descobrir mentiras que contam sobre o bairro vermelho, a tentar perceber.

 

Eu acho que percebi e por isso gostei tanto do bairro vermelho.

 

Acompanha todas as experiências por Amesterdão

Pakto uma viagem de sabores

Março 08, 2018

pakto-prato-de7e0.jpg

 

Neste fim de semana fui convidado a visitar um restaurante de sushi em Paço de Arcos, como é algo que aprecio lá fui eu debaixo de uma chuva infernal.

 

Ao chegar ao espaço deparei-me com um micro pequeno restaurante, que apesar de muito pequeno é bastante acolhedor e tem uma decoração muito satisfatória.

 

A ementa é variada e surpreendeu, pois estava apenas à espera de um restaurante de sushi e deparo-me com um restaurante de fusão que faz um mix inteligente entre comida japonesa, peruana e do Hawai.

 

pakto-detalhe-558d1.jpg

 

Dentro deste restaurante podemos viajar por estas três culturas e pela história destas 3 nações que se misturam ao longo dos últimos séculos. Talvez por isso a mixagem na gastronomia funcione também.

 

O ingrediente comum é o peixe, peixe supre fresco e de boa qualidade, os pratos esses são vários mas claro que o sushi, o ceviche, o tártaro e as poké Bowls são as estrelas.

 

Assim fica apenas uma dúvida que será o que escolher para a degustação pois a ementa é variada e rica, tendo desde gyosas, tempuras, sunomono, ceviche vários, sashimi, sushi vários clássicos e de fusão, poké bowls. Assim sugiro que apostem num dos menus de degustação à escolha. Existem 3 opções com preços que variam entre os 15 e os 25 euros.

 

A nossa viagem iniciou com uma sopa Miso que estava cinco estrelas, seguiu-se um carpaccio de atum, Harumakis, poké bowl, variadas peças de sashimi e sushi, Gunkans naturais e braseados.

 

Comum a todos estes pratos duas coisas uma excelente execução e peixe fresquíssimo.

 

Quanto à equipa fomos recebidos de forma calorosa e que nos transmitiu um ambiente familiar, quer pela proprietária quer pelos seus colaboradores. A única melhoria aqui se possível seria uma maior interação dos sushi man, o espaço e a montagem da sala permitem uma aproximação maior aos clientes o que tornaria a experiência ainda melhor.

 

Resumindo, comida 5 estrelas, colaboradores 5 estrelas, peixe 5 estrelas, uma viagem de degustação Maravilhosa.

 

Créditos das fotos Pakto

Guia Viagem Miami: Key West

Março 07, 2018

DSC_0807.JPG

 

Key West é um dos mais conhecidos Keys da Florida, é a ilha mais excêntrica e mais estranhamente bela.

 

Nesta ilha a orientação é bastante simples, nada a divide, não há baixa ou periferia, não há zona cultural ou boémia, tudo se mistura. aliás é bastante simples, se de um lado da estrada existem galerias de arte luxuosas, vilas caribenhas e festivais literários do outro bares com jovens a embebedar-se, desfiles e festas gay ou simplesmente lojas com t-shirt cómicas e absurdas.

 

Enquanto que nas outras keys existe um ambiente familiar e calmo, aqui a loucura impera. Desde sempre um destino para a comunidade gay e artística.

 

Revelamos aquilo que não pode perder:

Mallory Square – A avenida das festas e bares. De dia a calma dos habitantes e turistas mais velhos que fazem as suas compras nas lojas instaladas nas casas típicas coloniais das caraíbas, assim que o sol se põe homens que engolem fogo, música e diversão.

 

Duval Street – A mais louca rua de Key West em que os espetáculos de drag Queens se mistura com as bebidas luminosas, néon, teatros, cinema e lojas de roupa kitsch.

 

Hemingway House – casa colonial espanhola onde viveu Hemingway de 1931 a 1940

 

Florida Keys Eco discovery Center – museu da biodiversidade dos keys da Florida

 

Fort Zachary Taylor Historic state Park – parque publico onde ainda restam as ruínas de um forte e é conhecido amplamente por uma das melhores praias da ilha.

 

Key west Cemetery

 

Nancy Forrester’s Secret Garden

 

Little White House

 

Bahama Village – um bairro típico das Bahamas

 

Casa Antigua

 

Key west Lighthouse – o farol da ilha onde poderás subir os 88 degraus e ter uma vista impressionante.

Southernmost Point – provavelmente o ponto mais turístico de toda a ilha, este bidon gigante vermelho e preto marca o ponto mais a sul dos Estados unidos da América. Dali a 90 milhas consegue-se alcançar Cuba.

 

Dicas

Se pensas que Key West é um paraíso dos trópicos com excelentes praias poderás estar enganado, para isso qualquer dos keys que passarás para cá chegares serão melhores. Existem poucas praias públicas e não são as melhores do mundo. Assim tens duas soluções vais a uma das melhores South Beach, Higgs Beach ou smathers Beach, ou vais a um clube privado para beberes um copo, alugas uma cadeira e poderás aí sim usufruir das melhores praias privadas.

 

Como ir?

Temos três opções para ti dependendo do tempo que disponibilizas para a tua viagem. Para ir até Key West só tens duas opções como meio de transporte ou autocarro ou carro, assim poderás alugar um ou em alternativa meteres-te dentro de um autocarro de passeio ou público (existem excursões diárias de Miami que podes efetuar por 1 ou 2 dias)

Aconselho a passares umas noites aqui, a animação é garantida.

 

Acompanha a nossa viagem a Miami

A grande familia espanhola

Março 06, 2018

la-gran-familia-espanola-facebook.jpg

 

Uma grande familia espanhola que se reune em torno de um casamento precisamente no dia da final da copa do mundo com a presença de Espanha.

 

São cinco irmãos completamente diferentes, um deprimidio, um retardado, um médico aventureiro, um responsavel e uma criança de 18 anos que quer casar.

 

Um falido que pensa roubar a familia, um que sendo retardado é o que sabe dos segredos do seu pai, um aventureiro que sabe que afinal nenhum dele é filho do seu pai, um que ama a ex-namorada do seu irmão, um que ama duas irmãs.

 

Um filme que nos faz pensar que uma familia que poderá ser disfuncional vive em plena normalidade dentro da sua anormalidade.

 

Um grande filme para ver realizado por Daniel Sanchez Arévalo com participação de Héctor Colomé, Antonio de la Torre, Roberto Álamo, Quim Gutiérrez, Miguel Fernández e Patrick Criado.

 

Guia Viagem Miami: Key Biscane & Virginia Key

Março 05, 2018

orca.jpg

 

Tal como a sul do estado da Florida existem imensas ilhas designadas de Keys, também em Miami existem muitas ilhas algumas delas (as maiores em dimensão) também recolhem o nome de Keys.

 

Ora estes Keys são ilhas que se encontram ligados ao continente através de intervenção humana com a construção de pontes e viadutos. Virginia Key e Key Biscane são pontos que não podem faltar numa visita a Miami.

 

Para chegar a este destino tem diversas opções, através de autocarro partindo de Brickel ou de downtown, alugando um carro, ou desde Vizcaya Museum percorrer a pé as 7 milhas de pontes e ilhas – esta estrada Rickenbacker causeway ligará primeira Virginia Key e depois Key Biscane terminando no Farol do Cabo da Florida.

 

Uma coisa é certa a vista para o horizonte de Miami é brutal bem como os inúmeros parques públicos e praias.

 

Pontos de Interesse

Bill Baggs Cape Florida State Park: Como o próprio nome indica é o parque que alberga o Cabo da Flórida e o seu farol, sendo a estrutura mais antiga deste estado americano.

 

Biscayne Community Center & village Green Park: Um parque público com uma área enorme para crianças.

 

Crandon Park: Um parque com cerca de 1200 acres que se estende por 3 quilómetros ao lado da praia. Um paraíso, consideradas das melhores praias dos EUA.

 

Marjory stoneman Douglas Biscayne Nature Center: Um centro de natureza para conhecer a típica floresta subtropical do sul da Florida e a enorme fauna marinha.

 

Miami Sea Aquarium: Um ponto obrigatório, o sea aquarium conhecido em todo o mundo quer por albergar o show de orcas, o túnel dos tubarões, tartarugas marinhas bem como o raro mamífero manatim.

 

Sugestões

Caso consigas o que aconselho verdadeiramente é a levares algo para comeres e beberes durante este passeio dentro da mala e ires desfrutando dos muitos parques que vais encontrar fazendo um pic-nic.

No entanto, também existem bons restaurantes onde petiscar. Como é o caso de Boater’s Grill ou do Oasis Restaurant.

 

Sabe tudo sobre Miami

Lembram-se dos velhinhos Tamagotchi?

Março 04, 2018

tamagotchi old.jpg

 

Pois é já passaram vinte anos desde o seu lançamento (originalmente lançado em 1996 no Japão), a maior parte das crianças queriam um bichinho de animação digital para brincar. Hoje em dia, se qualquer miúdo der de caras com um bichinho destes perguntará qual é a graça. Mas nós com os velhinhos telemóveis e bips, o tamagotchi era mais uma revolução.

 

 

Ora como estamos numa era de apreciar produtos “vintage” com relançamentos de produtos dos anos 80 e 90, como por exemplo o lançamento do Nokia 3310 e a Nintendo com a SNES, o Tamagotchi regressou em Setembro passado ao mercado japonês num formato mais pequeno que o original. Em 5 de Novembro, o animal digital passou a ser também comercializado nos EUA, por aproximadamente 15 dólares a unidade.

 

À exceção de tamanho, o dispositivo continuará fiel ao original. A dinâmica de jogo também permanece a mesma: o Tamagotchi simula um animal de estimação que deve ser alimentado, cuidado e limpo como os de carne e osso. Caso contrário, o inevitável acontece e o bichinho digital "morre".

 

No entanto, trazer os produtos antigos está muitas vezes associado a novos produtos. Pois bem, e é isso que a Bandai vai fazer em breve. Tal como o Pokemon Go, a Bandai criou o Tamagotchi Forever – uma app que permite criares o teu “moderno” tamagotchi. A essência é a mesma do passado com algumas novidades para compartilhar nas redes sociais, evolui o bichinho para outros níveis, interagir com outro tipo de jogos, poderá interagir com outros animais virtuais na cidade criada TamaTown.

 

Vamos ver se esta app se torna numa febre como era antigamente.

 

Já pode efetuar o pré-registo na app (que está disponível para android e ios) mas o jogo só chega a comercialização (download grátis, se bem que alguns componentes estará pendente de pagamento posterior) no próximo dia 15 de Março.

 

tamagotchi_forever_title-720x320.jpg

Tamagotchi forever promete vingar.

Guia Viagem Miami: Coconut Grove

Março 03, 2018

VIZCAYA.jpg

 creditos fotografia wlrn.org

 

Muito antes de os arranha-céus espalharem o horizonte e constituíam o núcleo urbano movimentado de Miami, a aldeia de Coconut Grove era uma pequena comunidade à beira-mar, aninhada ao sul do atual centro da cidade.

 

Primeiro estabelecido por pioneiros das Bahamas, o bairro começou o seu passado há mais de cem anos. No final da década de 1870, os bahameses atravessaram as águas Flórida e começaram a trabalhar no Pousada Peacock .

 

Esta comunidade próspera fez muitas contribuições valiosas para o bairro, incluindo a capacidade de construir casas simples e resistentes que poudessem suportar tempestades e a estação chuvosa, muitas dessas casas ​​ainda estão em pé.

 

O mais antigo bairro de Miami que mantém os traços das Bahamas aliado à modernidade americana. Situado a sul da zona universitária de Coral Gables o bairro enche-se de juventude para usufruir dos muitos locais de cultura, lazer e entretenimento.

 

Pontos de Interesse

AC Fine Art: Um dos museus preferidos com pinturas de Sali, Picasso, Wharhol e Lichtenstein.

 

Barnacle Historic State Park

 

Coconut Grove Playhouse: O centro de Grove, um dos teatros mais antigos da região, onde poderá apreciar grandes interpretações de musicais e peças da Broadway pela companhia local.

 

Vizcaya Museum & Gardens: A norte de Cocconut Grove um local obrigatório de visitar como esta vila italiana que faz lembrar um ovo de fabergé. Adornado com jardins majestosos florentinos.

 

Nomeado em homenagem a um dos litorais mais cativantes na costa espanhola, o Museu Vizcaya e  captura a extravagância europeia de cair o queixo em um contexto americano encantador. O emblema da propriedade – “The Caravel” (A Caravela) – celebra um navio usado durante a “Era da Exploração”. Ao iniciar a sua exploração desse ícone histórico de Miami, vai ver uma imagem do mítico viajante "Bel Vizcaya" na entrada, marcando o início de uma viagem memorável à frente.

 

Dentro da casa principal

Demorou anos para aperfeiçoar os mais de 70 quartos da mansão, 34 dos quais transbordam de tesouros do século 15. De notar os elegantes pisos de mármore, refletindo um arco-íris de luz, irradiando pelas portas de vidro manchadas. Entre na sala de pequeno-almoço e maravilhe-se com o motivo, projetado para representar a troca de ideias durante a "Era da Exploração", combinando cerâmica chinesa com paisagens marinhas napolitanas. Por fim, n o salão Cathay, você sentirá o gosto das acomodações luxuosas apreciadas por magnatas famosos do cinema. Mas qualquer viagem a Vizcaya seria incompleta sem um passeio por seus jardins do Éden.

 

Os jardins

A melhor das fotografias não pode transmitir a serenidade dos 4 hectares dos jardins de Vizcaya. De muitas maneiras, os jardins formais relembram o layout de Versailles da França. Os arbustos bem aparados organizam as passarelas em padrões geométricos hipnotizantes. Colunas grossas, labirintos exuberantes e estátuas clássicas também emprestam sua estética europeia, mas Vizcaya engloba exclusivamente seus arredores tropicais também. Aqui, palmeiras, orquídeas raras e calcário cubano infundem o clima mediterrâneo palaciano com o faro característico de Miami.

 

Com opções de passeios personalizados e bilhetes a preços acessíveis, há muitas maneiras de fazer parte do legado de Vizcaya. A propriedade fica aberta todos os dias das 09:30 às 16:30, exceto terças-feiras, Natal e Ação de Graças. Para obter mais informações, visite vizcayamuseum.org.

 

O bairro de Coconut Grove é mais um bairro a visitar nesta imensa Miami.

Once the musical

Março 02, 2018

 

Coincidência ou não, hoje ao chegar a casa apanho num zapping o filme once.

 

Tive de ficar a ver e relembrar desta maravilhosa e romantica histórica que conheci pela primeira vez num palco da Broadway.

 

Para todos os que pensam que musicais são feitos apenas de brilho, roupas e danças Once é a prova que essa não é a realidade.

 

Amei na quando vi e voltei a amar, não fosse este um musical lindo e romântico.

 

 

Guia Viagem Miami: Little Haiti

Março 02, 2018

little haiti.jpg

 

Se nunca estiveste em Port-au-Prince, capial do Haiti, então tens uma fantástica hipótese de conhecer esta cultura aqui por Miami, basta subir um pouco mais a norte de Wynwood e encontrarás o bairro Little Haiti onde concentra a grande comunidade de emigrantes deste pais caribenho.

 

Rapazes jovens desnudos ou em camisolas de alça ouvem rap francófono nos seus rádios dos anos 80, lindas mulheres ajeitam seus cabelos e pintam de vermelho os seus lábios grossos em frente das botanicas, que por sua vez não vendem plantas mas sim são lojas de vodou.

 

Estas Botanicas são se dúvida uma das maiores atrações, deveriam ver o corropio quer de locais quer de turistas que se entusiasmam ao ler nas montras que resolvem problemas conjugais, matérias de amor, trabalho, saúde e até processos de imigração (não percebo como, mas enfim).

 

Poderás achar piada, mas tenta manter a serenidade e não demonstres desrespeito. Cada um acredita no que quer e vive a vida como quer.

 

A zona é uma das mais pobres de Miami e por isso a segurança sente-se por cada passo que dás. Não aconselhável ao escurecer excepto se acompanhado por locais.

 

No entanto, é super aconselhável que passes uma tarde por aqui. Novas realidades fazem bem ao crecsimento humano e aventuras são sempre boas para contar.

 

Além do mais e caso consigas ganhar coragem existem noites temáticas (algumas vezes por mês) na Big Night in Little Haiti, com musicas caribenhas e rap, festas estas que duram até o sol raiar.

 

Sabe mais sobre Miami

Guia Viagem Miami: Wynwood & Design district

Março 01, 2018

Wynwood.jpg

 

Na requalificada zona de Miami, agora considerada de “Midtown” nasceram Wynwood e o Distrito do Design.

 

Ambas as zonas eram extremamente perigosas com guetos e elevada taxa de criminalidade, a única forma de requalificar a zona foi atrair outro género de habitantes que se misturaram com a população local, e dinamizar a área com arte e design.

 

O fluxo de pessoas aumentou, tornou-se num bairro “in” e então cada vez mais se foram renovando apartamentos e armazéns em grandes lojas de conceituados criadores, galerias de arte e lofts para gente endinheirada.

 

Apesar do aumento de dinheiro na zona, não deixou de existirem comunidades menos abonadas e anteriormente vitimas de discriminação racial ou de género, hoje em dia, coabitam sem problemas.

 

Aqui entre cadeiras de design italiano, mobiliário da era romanov ou candelabros nascem lojas de criadores de moda.

 

Pontos de Interesse

 

Wynwood Walls: Uma explosão de graffiti e cor que pintam todas as antigas casas deste bairro. Um local a não perder.

 

Artopia: Um estúdio emblemático com muita história e que foi renovado por Purvis Young.

 

Bacardi Building: Um edifício que com as suas características parece um mosaico tropical. É uma torre que pertence à família Bacardi.

 

Brisky Gallery: Uma galeria de arte internacional principalmente com obras alemãs e belgas.

 

Living Room: Na rua, sim é uma galeria publica que serve de base ao Design District. Um interior devolvido ao exterior será este o lema.

 

Miami City Cemetery: O cemitério da cidade que acolhe os restos mortais das grandes personalidades desta cidade. Um cemitério onde existem 3 zonas distintas para brancos, pretos e judeus, além do tumulo da Mãe da Florida e de Miami: Julia Tuttle.

 

Pan american Art Projects: Um local onde poderá apreciar arte chinesa, europeia, latina, caribenha e americana.

 

Rubell Family Art collection: Museu da família Rubell com uma coleção de arte contemporânea colecionada por mais de 30 anos.

 

Conhece Miami

Pág. 2/2

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D