Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Zoomarine Albufeira é TOP

Julho 06, 2017

zoomarine.jpg

Pela primeira vez um parque temático português entrou no top 10 da Europa e no Top 25 do Mundo.

 

Zoomarine Albufeira, no Algarve, acaba de ser eleito pelos utilizadores da Trip Advisor como o 8º melhor parque temático da Europa, e consequentemente o 24º melhor parque temático do Mundo.

 

Uma distinção que acredito deve ter orgulhado em primeiro lugar a administração do Zoomarine e os seus empregados e depois todos os habituais clientes e portugueses em geral.

 

Ora aí está uma ótima sugestão para este Verão. A quem não conhece é visitar o zoomarine Albufeira e a quem já conhece aconselha-se repetir experiência.

 

Boas férias.

 

Lista dos 10 melhores parques temáticos da Europa:

1 – Europa PArk – Alemanha

2 – Le Puy du Fou – França

3 – Tivoli Gardens – Dinamarca

4 – Disneyland Park – França

5 – Walt Disney studios PArk – França

6 – PortAventura Park – Espanha

7 – Minitalia Leolandia Park – Itália

8 – ZooMArine Algarve – Portugal

9 – Gardaland Resort – Itália

10 – Efteling - Holanda

Algumas Dicas se Queres Viagens baratas?

Julho 04, 2017

dicas.jpg

 

Muitos perguntam como consigo viajar tanto, não sendo viajante profissional, e que devo ter muito dinheiro para fazer as viagens. Não sou rico e muitas das minhas viagens são acessíveis à maioria dos bolsos. Claro que ninguém oferece nada a ninguém e tem sempre custos.

 

Há gente que investe em carros, motas, aplicações financeiras, casas, eu decido investir em mim. E Viajar na minha opinião será sem dúvida o melhor investimento.Há viagens caras, há viagens baratas, e há formas de tornar viagens que à partida serão caras em mais baratas.

 

Se me perguntarem se sou adepto de “mochila às costas”, não sou, ora obviamente que deste modo pode encarecer uma viagem. No entanto, há cedências que temos de assumir caso queiramos gastar menos dinheiro.

 

Eu costumo utilizar a Edreams como motor de busca e pesquisa de voos, e costumo marcar por lá. Poderá haver mais baratos, eu sei que sim, mas este site oferece-me segurança e correta informação. Por vezes poderá utilizar apenas este site para consultar quem opera para que destino e depois visitar o site da própria companhia aérea para saber se existe alguma campanha em vigor, descontos ou preços mais acessíveis. Sendo cliente regular à comissões que não são pagas.

 

Para reservar hotéis costumo utilizar o motor de busca da booking para escolher o tipo de alojamento que vou ter, após escolher o alojamento X costumo fazer uma pesquisa para esse local X no motor de busca da Trivago (por vezes sugere-me contratar o hotel por outro site), no entanto olhe para tudo com atenção pois a diferença de preço apresentada diz respeito na maioria das vezes a algumas diferenças nos serviços prestados (exemplo: pequeno almoço incluído, tipologia de quarto, horário do check in e out, impostos municipais incluídos ou não, iva incluído ou não, possibilidade de cancelamento gratuito). Por norma depois de muita pesquisa acabo por reservar na booking, até por sendo membro genius tenho vantagens em check out tardio, wifi grátis ou parque de estacionamento gratuito.

 

Mas existem algumas dicas que poderá ter em conta para “achar” uma viagem barata:

 

1 – Destino: nunca fixe um destino que idealizou, ou seja, esteja aberto a conhecer um país ou cidade que até nunca pensou em visitar. Há locais que podem surpreender. Por isso quando pesquisar nas datas desejadas veja várias opções

 

2 - Evitar Datas especiais: Natal, Páscoa, Carnaval, feriados e meses tradicionalmente de férias são datas em que por norma os preços sobem. Por isso é de evitar estas datas. Caso não consiga alterar as suas férias, pense no dia que vai partir.

 

3 - Fins semana: são de evitar partidas às sexta-feiras e sábados de manhã. Tente simular uma saída à 2ª ou 3ª feira e vai confirmar a diferença de preços.

 

4 - Escalas de voo: Ao efetuar um voo poderá fazê-lo direto (caso exista) para o seu destino, ou com escalas. Não limite a sua viagem ao voo direto e desta forma poderá ver reduzir o preço. O único contra será o tempo que demorará na escala, mas o preço poderá compensar.

 

5 - Grandes aeroportos: voar para grandes aeroportos (no caso em que as cidades possuam mais que um) é o maior erro. Seja flexível e voe para um aeroporto secundário.

 

6 – Horário: Por norma os voos de madrugada e noite (primeiro e últimos) serão voos mais baratos. Muita gente não quer estar no aeroporto as 05H00 ou regressar de madrugada.

 

7 – Descontos: Existem muitos descontos que podem utilizar nas mais diversas plataformas. Por exemplo à data que escrevo este texto a Edreams dá um desconto de 30€ numa reserva.

 

8 - Reservar antecipadamente: Reservar com alguma antecedência possibilita arranjar preços mais baratos, pois ao diminuir o numero de lugares disponíveis no voo estes aumentam o preço. No entanto, nem sempre é assim, caso um voo esteja com muitos lugares por preencher podem existir diminuição de preços em reserva de ultima hora. Mas na maioria das vezes reservar antecipadamente é a melhor opção (3 meses será o indicado).

 

9 - Companhias aéreas: Não se restinga a uma ou duas companhias aéreas. Há imensas companhias low cost a operar em Portugal que são uma ótima escolha e com bom serviço. No entanto, companhias regulares podem prestar mais serviços por uma diferença diminuta.

 

10 – Mala: Voos mais baratos sejam em que tipos de companhia for limitam a bagagem de mão (por norma 1 bagagem até 10kg + 1 saco ou mala pequena), por isso tenha isso em atenção. Se precisar de levar muita bagagem tenha logo isso em conta à partida, é possível adicionar bagagem posteriormente através da própria companhia aérea (reserva online sempre mais barata do que no ato do check in).

 

11 – Atenção às condições: É preciso ter sempre em conta todas as condições dos voos: bagagem incluída, documentação necessária impressa, check in online obrigatório, etc...

 

12 – Escolha de alojamento: Aqui será difícil ajudar pois esta questão depende mais do tipo de viajante que costumas ser ou te queres tornar. Havendo exigências encarece o preço. Quanto mais cedências mais baixo o preço se tornará.

Exemplos que tornam o alojamento mais caro:

- Tipologia de Alojamento (exemplo Hostel ou apartamento vs Hotel)

- Categoria de alojamento (estrelas)

- Distância (se mais perto ou mais longe da zona histórica)

- Refeições incluídas

 

 

Espero que tenha algo de útil para vocês.

E Boa Viagem

Lion - A Longa Estrada para Casa

Junho 29, 2017

lion2.jpg

Um filme baseado em factos verídicos de Saroo Brieley, e com adaptação da sua obra autobiográfica “A Long Way Home”.

 

Sinopse: Em 1986, Saroo, um jovem pobre indiano de cinco anos, perdeu-se durante a noite do irmão perto de uma estação de comboios enquanto este tentava arranjar algum trabalho em troca de umas rupias para comprar comida.

Quando Saroo se refugiou numa das carruagens para descansar, acabou por adormecer e ser levado para Calcutá, por onde vagueou sozinho durante semanas, sem saber que estava a 1500 quilómetros de casa.

Apesar de todas as dificuldades, conseguiu sobreviver até ser encontrado por um centro de crianças abandonadas e posteriormente adoptado por Sue e John Brierley, um casal australiano que residia na Tasmânia.

 

Agora, 25 anos passados, e a viver com a família adoptiva, Saroo começa a ter algumas reminiscências do que se terá passado no dia em que se perdeu da família.

Desolado, mas com uma necessidade imensa de descobrir as suas verdadeiras origens, estuda a linha de caminho-de-ferro através do Google Maps. Com algumas informações somadas a pressentimentos sobre lugares e pessoas, e acaba por viajando por esta plataforma digital encontrar a localidade onde vivia em criança.

Saroo viaja assim até à Índia, para conhecer a sua família, e reencontrar a mãe e os irmãos.

lion.jpg

Um filme dramático realizado por Garth Davis segundo um argumento de Luke Davies. Dev Patel, Nicole Kidman, Rooney Mara, David Wenham e Sunny Pawar dão vida às personagens principais.

 

Não posso deixar de referir a belíssima fotografia, a tentativa de captar a realidade da Ìndia, depois de lá ter estado tudo parece tão verdadeiro e natural. E por fim, referir o fabuloso desempenho de Dev Patel.

Para mim Dev não é apenas um ator de origens indianas que faz papeis de indiano, Dev Patel é um dos melhores atores da sua geração.

O Pai

Março 01, 2017

Slide1.JPG

Mas onde está o meu relógio? Mas quem és tu? Onde está a minha filha?

São algumas das questões deste Pai. Um pai que sofre de Alzheimer e que se defronta com o desenvolvimento desta doença maldita.

Em o Pai, o autor e a encenação, transporta-nos para algo irreal, maravilhoso, perturbador. Não é o comum espetáculo em que assistimos às situações criadas pelo doente e reacções das pessoas que o rodeiam. Não, desta vez a história está contada de forma a que aquilo a que assistimos, é exatamente a perturbação do doente.

 

Nós somos os olhos deste Pai que não reconhece a filha, nós somos a mente que troca a fisionomia de um ex-genro por um enfermeiro de serviço, somos nós, tudo nós.

A nossa mente que entra em colapso desde o início da peça e que vai em busca do final inesperado (ou talvez não). Somos nós que confundimos o cenário da casa do pai, pelo da filha, pelo do hospital (um fabuloso cenário aliás).

 

São os meus olhos que lacrimejam quando não reconhecemos a Ana, é a minha respiração que vai ficando ofegante ao som ensurdecedor da melodia que abraça a sala.

O Pai é uma peça de teatro do jovem autor Florian Zeller, e trazida por João Lourenço e Vera San Payo de Lemos ao Teatro aberto, numa encenação fenomenal do último. As interpretações são magníficas de todo o pequeno elenco: João Vicente, Patrícia André, Paulo Oom, Sara Cipriano, Ana Guiomar e João Perry.

Slide2.JPG

Mas é Ana Guiomar, na minha opinião a melhor atriz da sua geração, e o veterano João Perry que sobressaem nos seus papéis. Guiomar não tem nada que se lhe apontar de defeitos, são virtudes, são expressões que esmurraçam os estômagos dos “convidados” no público, é a sua voz, o seu olhar, os seus silêncios. E depois temos o grandioso Perry que só poderei descrever como sublime.

 

“No labirinto em que a vida se transformou, são muitas as encruzilhadas porque as grandes questões da existência irrompem na normalidade do quotidiano. É preciso encontrar soluções para a perda de autonomia, o desvanecer da identidade e da solidão. E continuar a Viver.”

 

Mais um fantástico trabalho do Teatro Aberto, que nos últimos anos nunca me tem defraudado. Maravilhoso!

A Cenografia de António Casimiro e João Lourenço, a Luz de Alberto Carvalho e João Lourenço, os figurinos de Dino Alves e o Video de Luis Soares são imprescindíveis para este espetáculo e que o elevam ao Topo.

Não pense muito e marque bilhete, pois só estará em cena até 12 Março.

 

 

Obrigada. Apenas o meu agradecimento...

Fevereiro 14, 2017

5000.jpg

A página de facebook da Rotas do Mundo acaba de ultrapassar os 5000 seguidores.

Poderia ser mais, poderia, mas já me sinto muito agradecido por existirem 5000 seres que seguem os meus desabafos, os meus textos ou simplesmente as minhas fotos.

A história de Rotas do mundo já tem algum tempo, algumas imagens, mas sempre caminhando calmamente conforme a minha disponibilidade.

Tentarei ser mais regular nos meus post's, é a isso que me obrigo e a única forma de agradecer verdadeiramente

Obrigada.

O Hinduísmo é a Índia

Fevereiro 10, 2017

hinduismo e a india.jpg

A Índia é um país extremamente religioso, crente em “Deus” e todos os seus derivantes. Foi aqui que nasceu o Hinduísmo, o budismo, o jainismo e o sikhismo, sendo que a maior parte da população é hindu. Ou seja, 80% da população é hindu, perto de 15% é islâmica (trazida pela Dinastia Mogul desde o início do século XIV) e apenas 2% da população segue o sikhismo (mais propriamente no território norte do país).

 

Seguindo maioritariamente o hinduísmo conseguimos perceber verdadeiramente o que é a Índia, a sua cultura, a sua sociedade, a sua arte e principalmente as suas “estranhas” características – digo estranhas para nós ocidentais e cristãos, mas serão tão estranhas como são os nossos próprios rituais para os hindus.

 

O hinduísmo é assim uma das religiões mais antigas do mundo, alguns dos manuscritos sagrados datam de 1500 AC. As suas crenças podem ser complexas pois acreditam em imensos deuses (politeísta), detêm uma grande variedade de crenças e contêm muitas seitas diferentes. Os textos sagrados são vários, mas Veda é o mais importante, mas tem outros como Upanishadas, Mahabharata, o Ramayana, os Brahmana, os sutras e os Aranyakas. São escrituras com hinos, filosofias, rituais e histórias que influenciam as crenças hindus.

 

Mas existindo tantas escrituras sagradas e tantas variantes (monísticas – apenas uma coisa existe na escola Sankara, Panteísta – apenas uma coisa divina existe por isso Deus é idêntico ao mundo com Brahmanismo, Panenteísmo – o mundo faz parte de Deus com a escola Ramanuja e Teísta – apenas um Deus, distinto da Criação com Bhakti) torna-se difícil perceber o que são verdadeiramente os hindus. A maneira mais fácil de identificar os hindus é mesmo perguntar se segue a escritura de Veda. Se sim, não resta dúvidas.

 

Os Vedas são mais do que livros de teologia, contém uma mitologia religiosa que se mistura deliberadamente com mitos, teologia e história para atingir uma base em forma de histórias. Esta “Theo-mitologia” é tão bem fixada à história e cultura da índia, que rejeitá-la será o mesmo que rejeitar a Índia.

 

Para os Hindus, e apesar de muitos deuses, Brahma é o Deus supremo, Brahma é Tudo e cada ser é como Brahma – pessoa, animal, ou criatura – deste modo deixa de existir a individualidade. A forma eterna e a realização são assim alcançadas com o moksha, e até o atingir a alma vai reencarnando as vezes que for necessárias em todos os seres. Ao reencarnar num outro corpo ou casta será autodeterminada pelo Karma – assim o que fizeres hoje influenciará a tua reincarnação.

 

É aqui que surge então as castas que caracterizam a Índia, misturando a religião hindu e Brahma e também segundo muitos historiadores a própria história da Índia. Por volta de 1600AC a Índia (ou melhor será dizer o subcontinente indiano) é invadido pelos migrantes arianos (cor clara) que escravizou os nativos (daysa) mais morenos. Como aqui a estratificação da sociedade consoante a cor e consoante as suas funções na sociedade. Mas vamos acreditar que é o hinduísmo que estratifica a sociedade. Assim sendo, e baseando-se em Brahma o deus maior.

 

Da cabeça de Brahma saiu a casta Brama, ou sejam serão sacerdotes e a classe mais elevada da sociedade. Do tronco e braços de Brahma nasceu a classe Xátrias – os guerreiros e os que detêm poder (hoje em dia político), das pernas de Brahma foram criados os Vaíxás a força da Índia, ou seja os comerciantes e os artesãos, por fim dos pés de Brahma nasceram os Sudras – ou seja os servos, os operários, os camponeses. Á margem desta estrutura social existem ainda os Párias (Quem segue a Guerra dos Tronos sabem o que são), são os intocáveis, são aqueles que nasceram apenas da poeira. São aqueles que são invisíveis para a sociedade.

 

Esta estrutura é extremamente endógama, ou seja, quem nasce num extrato social não passará a outro, nem poderá integrar outro através do casamento. Claro que nos dias que correm, com o estudo e a alfabetização já se vai encontrando diferenças nesta rígida luta de classes, mas mesmo que um Sudra consiga alcançar poder através da sua profissão, moralmente nunca passará de um Sudra.

 

Os cinco princípios fundamentais do hinduísmo são assim:

- Um Deus único com Tríplice Manifestação: O ser supremos se divide para produzir a vida universal

- A Natureza Eterna do Mundo: O mundo e os seus seres saídos de Deus voltam a Ele por uma evolução constante

- A Reencarnação: Há uma parte imortal do homem que voltará sempre

- O Karma: Aquilo que fizeres nesta vida influenciará a próxima

- O Nirvana: o estado do não desejo, o mais puro e íntegro da alam.

 

Os Deuses Hindus, são mais do que imensos, cada um que influenciará uma área ou proteção específica. Será assim tão diferente dos santos cristãos? Não acredito.

brahma.JPG

 Brahma é sem dúvida o Deus maior dos hindus, é o Deus criador, o primeiro Deus da Trindade dos Deuses do Hinduísmo (Brahma, Vishnu e Shiva). Representa a força do Universo.

vishnu.JPG

Vishnu – simboliza o vigor, é capaz de suportar qualquer coisa e acima de tudo é capaz de fazer possível os impossíveis.

shiva.JPG

Shiva – Deusa da Destruição, a dançarina cósmica que destrói para brahma conseguir criar.

krishna.JPG

Krishna é o Deus do Amor, é o Deus atraente e íntimo, é o deus que protege todas as entidades vivas.

ganesha.JPG

Ganesha – um dos deuses mais conhecidos do mundo derivado de mistura feições humanas com elefante – é o Deus da Educação, da Sabedoria e do Conhecimento.

saraswati.JPG

Saraswati – A Deusa das artes e da música

lakshimi.JPG

Lakshmi – É uma deusa mãe, a deusa da prosperidade, a deusa da beleza e deusa que reflete o feminino.

hamunan.JPG

Hanuman – É o deus macaco, aquele que representa o espírito Neandertal dos humanos, o animal que há em todas as pessoas.

rama.JPG

Rama – é o deus guerreiro e o administrador ideal, reflete a moralidade e as ações corretas ideais para uma governação.

ganga.JPG

Ganga – Deusa do Rio Ganges.

 

O rio Ganges é torna-se assim na materialização da Deusa Ganga e nasce assim com o local sagrado dos hindus., é a divindade materna é um conjunto de tradições, o Ganges é tudo. Reza a lenda que um rei muito famoso praticou de forma muito fervorosa a sua religião com o objetivo de trazer à terra a Deusa Ganga para que encontrasse a salvação dos seus ancestrais amaldiçoados. Ganga acaba por ceder e desce à terra através de uma trança de cabelo de Shiva para lavar os pecados humanos e torná-la pia e fértil. É assim que Ganges é leito, é ali que os hindus vão lavar os seus pecados, é ali que querem contactar com o divino é ali que querem ser cremados para estar perto de Brahma, é ali que querem ser curados bebendo a sua água.

 

É no Rio Ganges e mais propriamente na cidade de Benares ou Varanasi que se encontra o local sagrado dos hindus.

"O Ganges, acima de tudo, é o rio da Índia, que manteve cativo o coração da Índia e atraiu incontáveis milhões às suas margens desde a alvorada da história. A história do Ganges, de sua fonte ao mar, dos tempos antigos aos modernos, é a história da civilização e da cultura da Índia, da ascenção e queda de impérios, de cidades granmdes e orgulhosas, de aventuras do homem". by Jawaharla Nehru

 

Antes de partir nesta Aventura das 1001 Noites, por terras da Índia, é imprescindível conhecer a sua cultura. A justificação para muito do que vou ver é o hinduísmo.

Velha Goa

Fevereiro 09, 2017

goa.jpg

 

“Eis a cidade morta, a solitária Goa

Seus templos alvejando num palmar enorme!

Eis o Mandovy-Tejo, a oriental Lisboa,

Onde em jazigo régio imensa glória dorme.

Jaz em tristeza imersa a tétrica cidade!

O turbilhão dourado, o estrondear da festa

Envolve-os em seu corpo a mística saudade

E abisma-os no mistério a pávida floresta.

Nós somos do passado a tímida memória...”

By Tomás Ribeiro

 

Desde que nasci que oiço falar deste território tão longe da minha casa, mas parece que o conheço, que já o visitei.

Há muitos anos atrás, o meu avô passou lá dois anos da sua vida, dois anos longe da família em serviço militar, mas que ainda hoje guarda com bastante saudade e felicidade.

Felizmente não apanhou guerra, nem más experiências, pois a sua visita foi 2 anos antes da anexação de Goa à India.

Agora a pouco mais de um mês estou prestes a cumprir um sonho meu e dele, que eu possa conhecer um pouco do seu passado.

O português já não estará tão presente, mas as paisagens, os locais e a gentes simpáticas e amáveis vão lá estar.

Até já Velha Goa.

Acompanha a Aventura das 1001 noites

Before They, ou Antes de nós lixarmos tudo

Janeiro 27, 2017

tribo.jpg

Before They Pass Away é uma colecção de retratos da autoria do fabuloso fotógrafo britânico Jimmy Nelson, onde este capta o estilo de vida de cerca de 30 tribos indígenas, que correm o risco de desaparecer ameaçadas pela globalização.

Jimmy percorreu assim os 4 cantos do planeta, fotografando, ou melhor será dizer documentando as várias tribos, desde os gaúchos da Argentina até aos Chuckchi na Sibéria.

Este trabalho obrigou Jimmy a passar 4 anos da sua vida junto destas tribos, passando cerca de duas semanas com cada um dos seus objetos fotográficos. Para captar esses momentos e essas gentes utilizou uma câmara analógica de placa com 50 anos.

Se quiseres saber mais o melhor é mesmo visitares a página: www.beforethey.com, onde poderá apreciar a arte deste visionário e até adquirir um postal, calendário ou mesmo o livro completo da coleção. Os preços são vários desde os 49.90€ até aos 128€.

Aprecia esta arte fenomenal e aprecia principalmente estas culturas que correm o risco de desaparecer.

Mais do que nunca é importante que cada um abrace e proteja a sua própria cultura.

fotografia de Jimmy Nelson

 

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D