Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Sintra - Praias Bandeira Azul 2015

Maio 01, 2015

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

Entramos em Maio e caminhamos a passos largos para a abertura de mais uma época balnear.

Vivendo a escassos 2 km do mar, aqui no sopé da Serra de Sintra, a minha vida sempre foi em contato com as belas praias existententes no concelho de Sintra.

Claro que as minhas praias de eleição são a Praia da Ursa na Azoia, praia sem vigilância e conhecida por toda a comunidade naturista e a Praia da Adraga em Almoçageme. Mas sou um apaixonado por toda a nossa costa e acredito que temos das praias melhores e mais bonitas do mundo, aliás por diversas vezes várias publicações internacionais concordaram comigo.

Ao abrir o jornal hoje e ao ver a lista das 299 praias portuguesas que alcançaram o galardão de bandeira azul reparo que no concelho de Sintra não há nenhuma praia com o devido reconhecimento.

Aqui na volta cascais detem 12 praias com bandeira azul, lourinhã 3, Mafra 6, Torres Vedras 10, Peniche 6. E Sintra?

Fiquei intrigado e fui ler um pouco sobre o tema.

Ora este galardão além da acreditação da qualidade da praia e do seu mar é uma forma de destaque turístico, algo tão defendido pelo atual executivo da Câmara Municipal Sintra enquanto fazia campanha política.

Fui tentar descobrir os critérios de avaliação - Informação e educação ambiental, Qualidade da água, Gestão ambiental e equipamentos e Segurança e serviços - e concluo que na maior parte, se não em todos os critérios existe uma responsabiluzação da autarquia local para a concretização de todos os pontos.

E assim há 3 possíveis razões para não termos qualquer bandeira azul em Sintra: A autarquia e entidades responsáveis nada fazem para que as nossas praias tenham qualidade, poderá também ser que o turismo é importante para a autarquia mas não interessa divulgar as suas costas pois podia trazer enchentes de estrangeiros ás localidades onde muitos políticos de todos os quadrantes detem as suas mansões erigidas em zonas de paisagem natural protegida, ou simplesmentemente nem sequer concorreram e nesse caso acho mal, mas que com um manifesto ou um simples comentário pode ilucidar dúvidas como a minha.

E pela busca que fiz nos meios de comunicação de hoje não vi nenhuma declaração.

Seja como for está na hora de apostar verdadeiramente no turismo em Sintra e em particular na minha freguesia de Colares.

Não podemos ser apenas um ponto de passagem ao Cabo da Roca, uma visita diária a Sintra para depois voltarem as dormidas em Cascais e Lisboa.

Ja toda a gente percebeu que a economia portuguesa vai desenvolver muito assente no turismo por isso estamos há espera do quê?

Se não quiserem desenvolver tomem medidas como o Antonio Costa em Lisboa. Taxa de 1 euro a cada estrangeiro que visita a Roca - taxa municipal para melhoramento da orla costeira...

Mesmo assim com ou sem bandeira azul estou desejoso que chegue o calor para nergulhar nas águas gélidas da Adraga.

Hotel Royal já estreou

Fevereiro 23, 2015

Quase 12 meses passaram desde que meti na cabeça que queria criar uma comédia musical tendo como pano de fundo os loucos anos 20. E foi assim que começou, um dia surgiram uns personagens, depois outros e por fim a peça ficou completa.

No final do mês de Março apresento então o texto de Hotel Royal: De pernas ao léu aos meus atores e atrizes e começamos a ensaiar.

Quase ao mesmo tempo começo em busca de músicas que completem esta obra, e a escolha recaiu em muitas musicas associadas a espetáculos da Broadway e do Cabaret Francês. Depois decidi incluir alguns números musicais mais atuais e também alguns números de homenagem como pró exemplo a Edite Piaf e a Carmen Miranda.

Os cenários segundo os meus fracos desenhos começaram a ser construídos, as danças a serem coreografadas, os vestidos de gala a serem costurados.

Ao ver, a peça que agora estreou, tudo parece tão fácil e simples, mas não é assim.

São muitas horas de ensaio (durante o fim de semana) para decorarem textos e criarem os seus personagens. São muitas horas com martelos, agulhas e tintas e afins para realizar todo o meu sonho.

Mas finalmente, no passado dia 21 de Fevereiro, eu e o meu grandioso Grupo Cénico Pérola da Adraga, lá conseguimos abrir as portas do nosso Hotel Royal, para uma estreia arrepiante, fabulosa e com uma plateia esgotada.

Agora continuaremos em cena, esperando por todo o público.

 

“Há muito, muito tempo, era assim que podia começar a nossa história mas por acaso não começa.

Hotel Royal é uma comédia musical da autoria de Pedro Carvalho cuja ação se desenrola nos

loucos anos 20 num hotel imaginário, sediado na Sintra Antiga .É neste hotel que vão surgindo e deambulando todos os personagens, quer hóspedes quer empregados.

Numa bela tarde, quando nada fazia esperar, desapareceu uma joia de muito valor de D. Carlota, viúva endinheirada que adora ser bajulada. É com a ajuda da gerente Elisa que arquitetam um plano para resolver este mistério e mandam vir de Lisboa um agente de investigação.

É aqui que surge Setas, policia judiciário muito trapalhão que com a sua falta de habilidade vai tentar restituir a joia roubada. No Hotel encontra-se com Pascoal, um amigo de longa data, barbeiro/manicure do estabelecimento hoteleiro e que trata as conversas alheias por tu. Estes dois seres trazidos do mundo da comédia, tentam disputar o amor de D. Carlota, ambicionando algum rendimento extra, o que origina uma guerra entre ambos e consequentes momentos hilariantes. A juntar-se aos 3, chega ainda Veríssimo, empresário nortenho do calçado com a sua brutalidade e estupidez natural.

No Hotel existem ainda outras personagens, que fazem do local uma verdadeira caixinha de surpresas: Valéria a sedutor irresistível, Crisálida a falsa paralítica, Saavedra o explorador africano, Edite a estrela das revistas do Parque Mayer. Como em todas as grandes comédias portuguesas não faltam o romance e as relações amorosas. No nosso caso o triângulo amoroso entre Katie uma atriz da Broadway americana, Rodrigo um bom vivant e Vera a menina endinheirada e rejeitada.

Este espetáculo musical é assim, acompanhado com muitos momentos dançados e cantados ao vivo a relembrar as grandes revistas do Parque Mayer e os grandes números musicais da Broadway. Pelo palco, além de muitos originais, vão passar grandes recriações de Carmen Miranda, Edite Piaf e algumas músicas bem conhecidos do nosso panorama musical.

As penas, os brilhos, o guarda-roupa de mais de 200 _gurinos abrilhantados por um excelente desenho de luz e um riquíssimo cenário, complementam este espetáculo.

É por isto tudo que esperamos por si no Hotel Royal : De pernas ao Léu!”

Próximos Espetáculos: 28 de Fevereiro - 21H30, 15 de Março - 16H30, 21 de Março 21H30, 04 de Abril - 21H30.

Até já!

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D