Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Zoomarine Albufeira é TOP

Julho 06, 2017

zoomarine.jpg

Pela primeira vez um parque temático português entrou no top 10 da Europa e no Top 25 do Mundo.

 

Zoomarine Albufeira, no Algarve, acaba de ser eleito pelos utilizadores da Trip Advisor como o 8º melhor parque temático da Europa, e consequentemente o 24º melhor parque temático do Mundo.

 

Uma distinção que acredito deve ter orgulhado em primeiro lugar a administração do Zoomarine e os seus empregados e depois todos os habituais clientes e portugueses em geral.

 

Ora aí está uma ótima sugestão para este Verão. A quem não conhece é visitar o zoomarine Albufeira e a quem já conhece aconselha-se repetir experiência.

 

Boas férias.

 

Lista dos 10 melhores parques temáticos da Europa:

1 – Europa PArk – Alemanha

2 – Le Puy du Fou – França

3 – Tivoli Gardens – Dinamarca

4 – Disneyland Park – França

5 – Walt Disney studios PArk – França

6 – PortAventura Park – Espanha

7 – Minitalia Leolandia Park – Itália

8 – ZooMArine Algarve – Portugal

9 – Gardaland Resort – Itália

10 – Efteling - Holanda

Luxemburgo Roteiro de 4 dias

Junho 27, 2017

Slide1.JPG

Num City Break pela Europa, as Rotas do Mundo elegeram o pequeno país do Luxemburgo – o único grão-ducado do mundo.

Partimos em voo low-cost da companhia easyjet de Lisboa em direção à cidade o Luxemburgo, perto de 3 horas e chegámos ao destino, a viagem foi efetuada ao final do dia o que nos permitiu começar o “amanhã” bem cedo a deambular pela cidade.

Optámos por ficar sediados diariamente no mesmo hotel – Hotel Bristol – um hotel simples, familiar e que cumpre os requisitos de higiene e conforto para este city break.

 

Dia 1

Após o pequeno almoço começamos a palmilhar a cidade. O nosso hotel ficava no bairro da Gare Central, o que significa que 5 minutos a pé e passando o viaduc estávamos na vila alta (uma das zonas mais turísticas e com mais pontos de interesse), começamos por ver alguns monumentos, catedral, corniche, memorial e descemos no elevador até à parte baixa da cidade Grund (o elevador é gratuito).

Depois de conhecermos esta zona baixa da cidade e ficarmos deslumbrados com as paisagens voltámos a subir à cidade alta onde visitámos o Museu da história da Cidade e o MNHA, além da igrejas e praças que compõem a cidade.

Entre os vários edifícios e locais visitados parámos para almoçar uma refeição leve num dos cafés perto da Praça do Palácio Ducal. Aqui é que começa a notar a diferença do poder económico dos luxemburgueses (não contem com menos de 15€ para comer umas sandes ou saladas e sumos).

Para finalizar o dia, percorremos a Ponte Adolphe e entrámos na Avenida da Liberdade para um entardecer mais comercial. Esta altura do ano (Junho) é fabulosa pois anoitece perto das 22H00 o que nos dá muito tempo para usufruir da cidade.

Ao jantar optámos por fazer uma extravagância e deliciarmo-nos num dos restaurantes na Praça das Armas – Grand Café by Redbeef.

Slide2.JPG

Acompanha em pormenor este dia no post roteiro da "ville" do Luxemburgo

Dia 2

O dia foi destinado a conhecer a zona norte do país, mais propriamente a vila de Vianden e Beaufort.

Para chegar até estas vilas é bastante simples e barato. Com apenas 4 euros consegue adquirir um bilhete de transportes públicos diários que o permitem andar em todos os autocarros e comboios dentro do país.

Com partida da Gare Central metemo-nos num comboio com destino a Diekirch, saindo na penúltima estação Ettelbruck. Aqui apanhámos o autocarro (Linha 570) com destino a Vianden.

Vianden uma vila maravilhosa coroada com o castelo é obrigatório na visita que fizer a este país.

Após percorremos a vila e visitarmos o castelo (atenção para chegar ao castelo tem duas opções ou vai a pé pelos cerca de 1.5km ou táxi), almoçámos num café na avenida principal na margem do rio Our.

Logo de seguida apanhámos um novo autocarro que liga Vianden a Dierkich (linha 570) e posteriormente um outro que nos ligou a Beaufort (Linha 505).

A vila de Beaufort é bastante pequena, diria antes que é uma aldeia no meio dos montes verdejantes da pequena Suiça, nome pelo que os luxemburgueses tratam esta zona. Nesta vila brilham as ruinas do castelo medieval e o castelo renascentista. Até aos castelos conte com uma boa caminha de 15 minutos.

Ao final da tarde regresso ao Luxemburgo de autocarro (Linha 502) onde jantámos num restaurante local.

 

Slide3.JPG

 

Dia 3

O Terceiro dia foi o eleito para dar um saltinho à Alemanha, mais propriamente à cidade de Trier ou Trevéris, a primeira cidade alemã fundada ainda no século X pelos romanos.

Além, dos muitos vestígios romanos destaca-se a visita à Casa de Karl Marx.

Para chegar à cidade é simples, basta deslocar-se até à Gare Central e apanhar um dos comboios com destino a Trier. O bilhete custa 9 euros e contempla ida e volta para a cidade, no entanto caso deseje pode comprar um bilhete de 14€ e poderá deslocar-se o dia todo entre as estações da linha que ligam Luxemburgo a Trier.

Acompanha em pormenor esta aventura em Trier

Slide4.JPG

Dia 4

Dia de continuar a percorrer a “Ville” do Luxemburgo e conhecer o que estava em falta.

Apostámos na zona norte da cidade conhecida por Bairro europeu e pela zona dos museus como o MUDAM. Para lá chegar uma vez que fica a uns 3km’s optámos por alugar bicicletas.

Para alugar uma bicicleta pública necessita de deter um cartão de crédito para ser bloqueado uma caução de 150€ em caso de não devolução do veículo. O custo por hora é cerca de 2€.

Após últimos passeios e ao final do dia fomos para o aeroporto para apanhar o avião de regresso a casa. A ligação ao aeroporto é muito fácil basta apanhar o aero bus que passa de 20 em 20 minutos e tem o custo de 4 euros.

 

Luxemburgo, surpreendeu-me pela beleza das paisagens, pelo património arquitetónico e histórico e pela simpatia dos luxemburgueses (ou de muitos portugueses, pois quase 20% da população do país é de origem lusitana).

 

Acompanha tudo da viagem integreal em Luxemburgo.

Évora: o Recanto de Diana

Janeiro 30, 2017

diana1.JPG

Esta cidade com cerca de 50000 habitantes, capital de município e de distrito está situada na região centro do nosso Alentejo, mais propriamente na sub-região do Alentejo central. Évora é um gigante município com 1307 km2 o que a torna no 5º maior município português.

Terra de extrema beleza é por muitos conhecida como cidade-Museu, devido ao seu centro histórico muito bem preservado e aos muito ricos monumentos. Évora é a única cidade portuguesa membro da rede de Cidades Europeias mais antigas. O seu centro é considerado desde 1986 Património Mundial pela UNESCO.

A História de Évora é muito antiga, remonta mesmo ao período megalítico, bem visível nos monumentos dessa época que circundam a cidade como a anta do Zambujeiro e o Cromeleque dos Almendres. Não se consegue comprovar mas calcula-se que Évora cidade tenha surgido antes dos romanos.

Segundo reza a lenda popularizada por André de Resende (1500), esta cidade terá sido sede das tropas do general romano Sertório que em conjunto com os lusitanos enfrentaram o poder de Roma. Não sabemos se será verdade, mas a certeza da ligação desta cidade a Roma está bem visível nas ruínas do Templo de Diana.

Évora tem um património riquíssimo. Apresento algumas que na minha opinião são obrigatórias de visitar.

Visite o Templo de Diana, pois é sem dúvida um dos monumentos do período romano mais importantes do nosso país. Terá sido construído no século I para homenagear o imperador e foi-lhe atribuído o nome de Templo de Diana posteriormente, talvez pela ligação da cidade à caça.

diana2.JPG

 A Sé de Évora envergando a sua arquitetura gótica, foi construída nos séculos XIII e XIV, uma das catedrais medievais mais importantes do nosso país, construída à semelhança da Sé da capital. Atenção aos horários pois rapidamente pode perder a hipótese de subir até ao terraço onde obtém uma impressionante visão da cidade.

O Palácio de D. Manuel é uma obra prima da arquitetura manuelina e renascentista, que facilmente pode observar até o percorrer dos jardins públicos.

se.JPG

 A Igreja de São Francisco mandada erigir por D. João II e terminada por D. Manuel mistura os estilos góticos e manuelino. Detalhe principal da abóbada de pedra e do altar mor.

O Convento dos Loios é um exemplo também do estilo gótico e manuelino. Hoje alberga a pousada dos loios onde pode passar uma noite ou degustar um manjar de reis no seu restaurante.

Para finalizar não poderíamos deixar de visitar A Capela dos Ossos situada na Igreja de são Francisco, data do século XVII e tem a particularidade de ser totalmente forrada com ossos humanos.

“Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”

ossos.JPG

Além do Património histórico que esta terra oferece muitas são as atividades que pode fazer culturalmente, socialmente ou gastronomicamente.

Comecemos por um passeio não nos “tuk tuks” que enchem a capital lisboeta, mas sim um passeio num automóvel clássico que o espera na praça principal e que consigo pode levá-lo a conhecer a cidade.

Depois não se esqueça de passear pela Praça do Rossio, ou do Giraldo, aqui pode conviver com os locais, ou fazer umas comprinhas quer de produtos típicos da região ou qualquer produto que imaginar – é como se estivesse num centro comercial a céu aberto.

ruas.JPG

 Antes de finalizar este passeio aconselho a visitar pela manhã o mercado municipal de Évora, mesmo às portas da capela dos Ossos, onde pode encontrar vinho, azeite, queijos ou produtos de charcutaria da região que detêm extrema qualidade.

Não pode deixar de experienciar e apreciar a cultura alentejana, e para isso passe no Espaço Celeiros às quartas-feira para ouvir o cante alentejano considerado património imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Consulte antes de partir a agenda cultural da cidade e aprecie um espetáculo de teatro, musical, exposições ou concertos que ocupam a vida cultural da cidade. Seja na Arena de Évora, na Universidade de Évora, no Fórum da Fundação Eugénio de Almeida ou no Teatro Garcia de Resende.

Portanto as atividades de lazer que pode fazer são mesmo muitas, além de que pode apenas relaxar a ouvir os passarinhos e apreciar a beleza das planícies alentejanas.

evora1.JPG

 Além da história, do património e das atividades lúdicas que esta terra oferece, um ex-líbris da região é sem dúvida a sua gastronomia. Aqui pode optar por pratos de carne com extrema qualidade e muito variada, pelo peixe de rio ou pelos doces tradicionais que são divinais. O javali, o porco, e o borrego são os príncipes, deixando o simples pão como o rei da gastronomia alentejana.

Prove os mais variados pratos desde as entradas – queijos, enchidos, azeitonas e presunto; aos pratos principais como o ensopado de borrego, sopa de cação, açorda à alentejana, migas com carne de porco, sargalheta, gaspacho ou pratos de caça: javali, lebre e perdiz.

Acompanhe o nosso blog e descubra as preciosas iguarias que provámos em todo o nosso roteiro.

E para degustar todas estas iguarias nada melhor do que visitar alguns dos melhores restaurantes da região. Elejo 2 restaurantes que primam pela qualidade.

O Restaurante Degust’ar, situado no hotel M’ar de Ar Aqueduto, antigo palácio dos Sepúlvedas que mistura a cozinha alentejana, mas que desenvolve criativamente esta gastronomia misturando-a com influências mediterrânicas. Tudo isto com o toque do chefe António nobre.

Se conseguir prove o menu de degustação, são vários pratos que lhe vão ser servidos sempre acompanhados de vinhos de extrema qualidade da região.

O Restaurante Malagueta, ou melhor será dizer o cantinho dos petiscos, onde pode apreciar produtos típicos alentejanos no mais natural possível. Comida caseira que mostra o verdadeiro sabor do Alentejo.

Depois temos a doçaria diversa alentejana mas não deixe de passar no Café da Arcada e prove as típicas Queijadas de Évora, vai valer a pena as calorias a mais.

Está comprovado que a gastronomia é um dos pontos fortes desta região, aliás além do turismo são exatamente atividades como a vinha, a agropecuária e a agricultura que são as principais atividades económicas de Évora.

Depois de tantas atividades e passeios é hora de relaxar e nada melhor que optar por um dos hotéis e espaços de turismo que esta zona oferece.

Ficámos hospedados no Évora Hotel, um hotel simples e familiar e com uma boa relação qualidade/preço. Acompanhe a nossa crítica no blog.

Évora tem assim muito para oferecer e muito para ser descoberto. É um local fabuloso em qualquer altura do ano desde os meses mais frios, aos meses de Verão.

descobrir portugal.jpg

 

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D