Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Nuno Lopes Melhor Actor em Veneza

Setembro 12, 2016

nunolopes.jpg

Nuno Lopes, para mim um dos melhores atores portugueses da atualidade, venceu a distinção de melhor actor no festival de cinama de Veneza, conquistando o prémio Orizzonti pela sua prestação no filme São Jorge do realizador Marco Martins.

Um filme que retrata a realidade vivida nos bairros da belavista e da Jamaica em Lisboa. O papel de Nuno é o de um boxeus desempregado que aceita trabalho noturno numa empresa de cobranças dificeis.

De leão de ouro na mão não deixou de enaltecer os habitantes alfacinhas destes bairros e de criticar o dragão da austeridade que "cuspiu fogo" sobre Portugal.

Não poderia deixar passar este tema em branco: Parabéns ao Nuno e ao Cinema Português.

Rotas do Mundo

Aqui me encontro

Eu vou... Queen & Adam Lambert no Rock in Rio

Novembro 10, 2015

Já se conhece um nome para a abertura do Rock in Rio Lisboa de 2016, no dia 30 de Maio, e é nada mais nada menos que os Queen acompanhados pela estrondosa voz de Adam Lambert.

Sou fã de Queen, adoro todas as músicas das mais rockeiras às baladas. é verdade que Adam não é o Freddie mas cantam que se desunha.

Este encontro brilhou nos palcos do Rock in rio este ano no Brasil e a Roberta Medina conseguiu trazê-los a Portugal.

Por aquilo que vi vai ser brutal e por isso Rock in Rio ... Eu Vou.

Cortejo de Oferendas em Almoçageme - Colares - Sintra

Agosto 19, 2015

No próximo domingo dia 23 de Agosto pelas 14 horas volta o Cortejo de Oferendas a percorrer as ruas de Almoçageme e a instalar-se no Largo para o tradicional leilão de produtos hortícolas e frutícolas.

Para quem não sabe o Cortejo de oferendas é uma tradição bastante antiga, onde existe como o próprio nome indica um cortejo (hoje em dia de carrinhas e tratores, outrora em carroças) apinhado dos produtos saloios mais frescos cultivados nesta linda freguesia de Colares, que foram ofertados pela população de Almoçageme, Stº. André e Casas Novas, com o intuito de efetuar-se um leilão desses mesmos produtos para obter receitas com fim de beneficência.

A todos os que conhecem são sempre bem-vindos mais um ano, a quem não conhece é uma excelente oportunidade de encher a dispensa neste final do mês, aqui pode comprar a preços de leilão que por norma são bastante baixos muita fruta de qualidade (maçãs novas, peras, laranjas e os raros pêssegos rosa que só existem em Colares, uvas, melão e afins) leguminosas e hortaliças bem frescas apanhadas no dia anterior ou na própria manhã, batatas, alhos e cebolas. Produtos de grande qualidade e biológicos.

cartaz cortejo oferendas.jpg

 

Além dos produtos frescos existem também grandes oportunidades como excelentes garrafas de vinho da região, por vezes até pode encontrar Vinho Ramisco de Colares, pode adquirir ainda alguns animais de capoeira ou outros produtos diversos que tenham sido ofertados.

Este ano o cortejo de Oferendas é organizado pela jovem Comissão de Festas em Honra de Nossa Senhora da Graça 2015, e os rendimentos obtidos servirão para a organização das nossas festas populares tradicionais de outubro.

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Graça é sem dúvida uma das festas populares mais antigas e sem interrupção desde a sua criação. Desde 1768 que todos os anos no primeiro Domingo de Outubro a Nossa Senhora da Graça sai à rua para abençoar as gentes de Almoçageme e restantes devotos, e para comemorar existem 5 dias de festa que são uma maravilha.

O convite está feito. Este Domingo há Cortejo de Oferendas e em Outubro há festa da Graça.

As receitas destinam-se a ajudar as instituições solidárias da terra como os Bombeiros Voluntários e a Sociedade Recreativa entre outras e para a organização das Comemorações dos 250 anos das Festas em honra da padroeira.

A tradição não pode morrer por isso desde já os meus votos de sucesso à comissão.

loso sra. graca.jpg

 

Restaurante A Cidade em Lisboa

Agosto 13, 2015

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

As Rotas do mundo como tem sido habitual, tem dado a conhecer alguns restaurantes que tem frequentado, alguns deles já muito na berra, outros que estão agora a começar a sua travessia.

Aqui na Praça Sá Carneiro, no Areeiro, Lisboa, abriu há alguns/ poucos meses o Restaurante A Cidade, em estilo jovem e moderno mas que mistura também o tradicional.

Um restaurante pequeno mas bastante acolhedor que mistura o mobiliário rústico em cores brancas com padrões tradicionais mais modernos, e uma envolvência de tradicionais azulejos portugueses. Na rua uma boa esplanada para umas tardes e noites quentes oferecem mais alguns lugares a este local.

A ementa não é muito diversificada centrando-se numa saudável e moderna fast food, mas aparenta boa qualidade, sabor e originalidade. Aqui os pratos variam entre pizzas com nomes de bairros de Lisboa, saladas com nomes de fadistas, francesinhas à moda do Porto, os seus rissóis da cidade (em massa de pizza que não deixam de ser uma espécie de calzones) e os hambúrgueres em estilo “light gourmet”.

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

De tudo o que já experimentei, pois é um excelente e acessível restaurante para frequentar também à hora de almoço destaco a francesinha à bulhão bem recheada de boas carnes e com um molho bastante saboroso, e as pizzas de massa fina mas bastante “recheadas” de saborosos ingredientes.

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

Na carta poderá encontrar diversas bebidas, desde o fresquinho vinho verde à pressão, às caipirinhas ou aos gins (que tanto estão na moda).

A equipa é bastante jovem mas muito dedicada e simpática, sempre disponível e que prima pela qualidade do serviço.

Uma boa e barata opção quer para almoçar, jantar, ou simplesmente beber um copo ao final da tarde.

Slide3.JPG

 

Sushi, Música Clássica e geladinho

Julho 16, 2015

Ontem foi dia de Lisboa à noite.

Para começar fui até ao Restaurante Nagoya comer um pouco de sushi, para não dizer que fui comer muito.

Não é o melhor restaurante de comida japonesa que conheço mas é um dos melhores tendo em conta a relação qualidade preço. Claro que para alguns puristas, os makis e temakis de fusão não são a melhor opção, mas acho que a maioria do pessoal concorda comigo em como se come bem por estas bandas e a preço acessível.

WP_20150715_21_22_09_Pro.jpg

 

Depois decidi ir passear um pouco pela baixa de Lisboa, a noite não era a mais quente mas estava bastante agradável. Gosto de Lisboa, gosto do reboliço da cidade, que nestes dias está minada de turistas.

Subi a Rua do Carmo até ao largo do Carmo, Chiado e depois fui ao assistir ao 7º Festival ao Largo, nessa noite a Banda sinfónica da GNR e o Coro do Teatro Nacional são Carlos em duo e com um som fabuloso.

WP_20150715_22_31_55_Pro.jpg

 

Para finalizar a noite nada como comer um geladinho bem saboroso e biológico na geladaria Amorino.

E assim se passou uma fabulosa noite de quarta-feira percorrendo Lisboa.

Hamburguer gostoso na Hamburgueria 21

Julho 13, 2015

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

Aqui na Av. João XXI, Lisboa, no cruzamento com a Av. Roma e bem perto da Praça de Londres encontra-se a Hamburgueria 21, um restaurante de Hambúrgueres um pouco mais sofisticados, uma “chic fast food”.

Um ambiente descontraído com mobiliário de madeira claro, uma equipa bastante disponível e simpática que rapidamente nos servem e dão atenção.

Hamburgueria 21 conta com um menu curto mas de grande variedade, aqui podem ser degustados os tradicionais hambúrgueres, o cheeseburguer, ou algo mais arrojado como o picante e o luxuoso, tudo com 100% de carne de vaca. Quem preferir poderá optar por um hambúrguer de frango, vegetariano ou até com salsicha.

Os pratos são acompanhados com umas batatas fritas às rodelas bem caseiras regadas com ervas aromáticas.

Um bom local para um almoço ou para passar um bom tempo à hora de jantar.

Ham espcao.jpg

 

A Noite

Maio 14, 2015

A noite

noite.jpg

 De Negro se veste a noite, sobe o Tejo até ao Chiado,

onde descansa em papelões e lá permanece deitado.

As meninas de vermelho, procuram o verdadeiro amor

Lá ganham mais um trocado, um café e beijos sem sabor.

Por volta da uma acabam os espetáculos,

o Parque Mayer fecha as suas portas,

as coristas entram nos carros dos seus encenadores e doutores.

Na esquina, pela madrugada,

vai-se juntando o povo artista,

entre whiskies e copos vazios, pensam nas cenas dos outros dias.

Na mesa do canto escrevem-se poemas,

as deixas são largadas ao balcão

entre prosa e poesia que motiva o coração.

A  Manhã prestes a chegar, põe todos os clientes na rua,

em zig zag's permanentes, vão para casas que não as suas.

A noite acabou, o sol já brilha no céu,

agora descansa a noite nos lençóis do amor e sexo.

Até amanhã noite amiga, conselheira de tanta hora...

Contigo fiz a vida, sem ti morro agora.

 

A noite, by PMC em Fevereiro de 2002

Arte Urbana no Areeiro em Lisboa

Abril 23, 2015

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

Arte de rua gratuita para todos os que passarem na Av. Afonso Costa em Lisboa, bem perto do Areeiro.

Ali podemos apreciar a obra de Seiner, jovem artista polaco de 27 anos que ca se encontra a divulgar esta forma de arte que embeleza edificios fa cidade.

Segundo ouvi dizer a obra chama-se Crossovers... E para quem como eu trabalha ali na zona a obra enquadra-se perfeitamente no local...

Quem nao conhece as senhoras idosas de mala ao braco a descer a Guerra Junqueiro, com o seu guarda sol.

Acompanhei diariamente a evolucao da obra e aplaudo...

Doce Pássaro da Juventude

Abril 17, 2015

docepassaro.jpg

 

Ontem deliciei-me a assistir à grande obra de Tennessee Williams – Doce Pássaro da Juventude – que a produção dos Artistas Unidos levaram a cena no Teatro são Luís em Lisboa.

Sou um fã das obras deste dramaturgo americano, textos que retratam a sociedade americana de um tempo passado, mas que é facilmente transportável para a atualidade de qualquer país. No fim de contas estamos sempre a falar da condição humana – das suas glórias, dos seus sonhos, dos seus desesperos, dos seus infernos.

É sobre isso mesmo que esta peça fala – a condição humana – neste caso a loucura excessiva em querer uma juventude perdida, uma juventude de sucessos e beleza, uma juventude de força e destreza, uma juventude sonhada e nunca real.

A história centra-se em Alexandra del Lago e chance Wayne, sendo este a ligação a todas as restantes personagens. Alexandra, aqui desempenhada majestosamente por Maria João Luís, é uma “velha” atriz de cinema americana que idealiza que o fim de carreira e de glória está perto e por isso vive no medo constante que o seu público e fãs a abandonem, por isso refugia-se no vodka, no haxixe, nos anti-depressivos, nas drogas alucinogénicas. Uma personagem de uma carga dramática fabulosa, na luta constante de desespero, na loucura real e na causada pelas drogas, nas depressões, nas ansiedades abruptas.

Esta atriz conhece Chance Wayne, um gigolô também já com a idade a pesar nesta profissão, e que tem como sonho tornar-se um ator famoso, que o possibilitaria a fugir do mundo que conhece acompanhado pela sua rapariga.

Chance tenta afrontar a velha atriz, mas está também já dependente do seu dinheiro, da sua vida da dependência que sente por si. É por isso que após uma noite de muito álcool e droga decide pernoitar no Hotel Royal de St. Claude terra que o viu nascer mas de onde teve de fugir, perseguido pelos capangas do político da Cidade.

É no quarto de hotel que se passa a grande 1ª parte desta obra, nos diálogos e monólogos destes 2 personagens.

Chance busca então a sua rapariga, que conheceu aos 15 anos, Heavenly – representada pela fragilizada Catarina Wallenstein – a mulher que desvirginou numa noite de lua cheia na praia e que é filha de Boss Finley, a força politica do poder naquela cidade. Por isso, sempre teve de andar em fuga, e não era permitida a sua presença na sua terra natal, No entanto entre velhas e gordas que o “contratavam” sempre voltava a St. Claude para estar com a sua rapariga. Foi na ultima viagem que lhe pegou uma doença venérea, o que fez com que a sua rapariga tivesse de ver o seu útero arrancado e se tenha tornada seca, infértil, morta.

No final das contas Boss Finley, político dos bons costumes, religioso o quanto pudesse ou devesse interessar é um homem sem escrúpulos e que tudo fará por castigar Chance.

São as lutas, as histórias destes personagens que nos completam a peça, o desenrolar da ação passa por um crescente de loucura e de desespero dos 2 protagonistas e que termina com a fuga de Alexandra Del Lago de volta à ribalta cinematográfica e na possível castração de Chance.

A peça está muito bem montada, com uma encenação não brilhante mas eficaz de Jorge silva Melo. Contesto a cenografia – barata/simples/vazia demais para este espetáculo – diz-me que por vezes o menos é mais, aqui o menos foi sem dúvida menos.

Não gostei também da sonoplastia. Quem conhece minimamente as obras de Williams sabe que por vezes a mesma trilha sonora é acompanhada pelos mesmos personagens do inicio ao fim da peça, mas neste caso a escolha quer das notas de saxofone que permitiam a mudança de palco quer o som das gaivotas que constantemente nos queriam levar para o hotel à beira mar de St. Claude são de um mau gosto terrível. Acho que o guarda-roupa também merecia mais cuidado e orientação.

De tirar o fôlego é sem dúvida as interpretações. Neste caso da brilhante Maria João Luís – que é realmente fabulosa. Ruben gomes, como Chance vai bem, mas longe da perfeição. No entanto a surpresa foi pelos atores que desempenharam o papel de Boss Finley e Miss Lucy, lamento não saber os vossos nomes... talvez por isso uma simples folha de plateia desse jeito para conhecer todo o trabalho artístico e técnico.

Mas a estes 4 atores um aplauso forte!

A quem ainda não teve oportunidade de assistir é só ir até ao chiado para ver e ouvir Tennessee Williams.

Slide4.JPG

 

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D