Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Pakto uma viagem de sabores

Março 08, 2018

pakto-prato-de7e0.jpg

 

Neste fim de semana fui convidado a visitar um restaurante de sushi em Paço de Arcos, como é algo que aprecio lá fui eu debaixo de uma chuva infernal.

 

Ao chegar ao espaço deparei-me com um micro pequeno restaurante, que apesar de muito pequeno é bastante acolhedor e tem uma decoração muito satisfatória.

 

A ementa é variada e surpreendeu, pois estava apenas à espera de um restaurante de sushi e deparo-me com um restaurante de fusão que faz um mix inteligente entre comida japonesa, peruana e do Hawai.

 

pakto-detalhe-558d1.jpg

 

Dentro deste restaurante podemos viajar por estas três culturas e pela história destas 3 nações que se misturam ao longo dos últimos séculos. Talvez por isso a mixagem na gastronomia funcione também.

 

O ingrediente comum é o peixe, peixe supre fresco e de boa qualidade, os pratos esses são vários mas claro que o sushi, o ceviche, o tártaro e as poké Bowls são as estrelas.

 

Assim fica apenas uma dúvida que será o que escolher para a degustação pois a ementa é variada e rica, tendo desde gyosas, tempuras, sunomono, ceviche vários, sashimi, sushi vários clássicos e de fusão, poké bowls. Assim sugiro que apostem num dos menus de degustação à escolha. Existem 3 opções com preços que variam entre os 15 e os 25 euros.

 

A nossa viagem iniciou com uma sopa Miso que estava cinco estrelas, seguiu-se um carpaccio de atum, Harumakis, poké bowl, variadas peças de sashimi e sushi, Gunkans naturais e braseados.

 

Comum a todos estes pratos duas coisas uma excelente execução e peixe fresquíssimo.

 

Quanto à equipa fomos recebidos de forma calorosa e que nos transmitiu um ambiente familiar, quer pela proprietária quer pelos seus colaboradores. A única melhoria aqui se possível seria uma maior interação dos sushi man, o espaço e a montagem da sala permitem uma aproximação maior aos clientes o que tornaria a experiência ainda melhor.

 

Resumindo, comida 5 estrelas, colaboradores 5 estrelas, peixe 5 estrelas, uma viagem de degustação Maravilhosa.

 

Créditos das fotos Pakto

Gastronomia Orgásmica no Armazém da Alfândega

Fevereiro 23, 2018

janela.jpg

Aquando a minha ultima viagem à região de Aveiro tive duas premissas: visitar os locais que ainda não conhecia e degustar o que de boa gastronomia se faz pela cidade.

 

A “googlar” descobri o Armazém da Alfândega, um restaurante recente com cerca de 1 ano, sediado no Hotel “Histórias por metro quadrado” e que disponibiliza além da sua moderna carta alguns menus de degustação elaborados pelo chef Daniel Cardoso.

 

Pareceu-me um ótimo restaurante com comida de conforto, um ambiente supre agradável e uma carta variada, não me restou dúvidas e reservei mesa. A chamada telefónica que recebi poucos minutos depois do próprio restaurante informava-me que no dia marcado iria existir um evento à porta fechada no restaurante, no âmbito das celebrações do seu primeiro aniversário e que poderia manter a reserva mas teriam custos superiores.

 

Ora, um dia não são dias, e porque não estar presente no 6 hands challenge com o chef e mais dois convidados surpresa? Aceitei e lá estive numa das maiores experiências gastronómicas da minha vida.

ambiente.jpg

O chef Daniel Cardoso convidou para este desafio a 6 mãos os seus colegas do Masterchef Luís Portugal e Lobão. A expectativa estava em alta, sentei-me naquela mesa reservada com o meu nome com vista para a cozinha, o espaço que apesar de pequeno fez-me sentir em casa e em família (não fossem a maior parte dos presentes fornecedores, amigos e clientes habituais da casa), o ambiente escurecido e com algum “glow” transportava-nos para esta nova experiência, a música acompanharia toda a noite dando asas a cada prato apresentado.

 

Estava pronto para este Desafio gastronómico.

 

Esta degustação iniciou com um macarron com tinta de choco e salmão acompanhados com um Herdade da Malhadinha Nova Antão Vaz. Ora que ideia esta de começar uma refeição com uma suposta sobremesa salgada. Resultou. A apresentação embora transportando-nos para os enlatados que muito abundam nesta zona, transportava-nos para um ideal futurista. Talvez seja esta a missão do Armazém da alfândega levar ao futuro a Tradição.

entrada.jpg

corneto.jpg

O chef Luis Portugal, que hoje detém um restaurante em Trás-os-Montes com produção de enchidos, e ao qual prometi uma visita em breve, brindou-nos de seguida com um corneto invertido com sapateira, mel balsâmico, redução de pimento assados e rebentos de coentros.

 

O menu continuou com um prato do chef Lobão que nos transportou até à Ásia com barriga de porco cozinhado em chá de Lúcia lima com espuma de chá e favas crocantes. A acompanhar as entradas de carne a Herdade da Malhadinha, presente no evento, apresentou-nos um monte da Pesseguinha.

barriga.jpg

alheira.jpg

Seguiu-se então uma surpresa, que não estaria presente na carta mas que o chef Luís Portugal fez questão, Alheira com papoila, maionese de lima e coentros, geleia de marmelo, puré de maça e mais uma vez a fabulosa redução de pimento assado (sugeri no final do evento ao Luís que esta redução devia ser comercializada).

 

Iniciaram então a marcha de pratos principais que vieram degustar o nosso palato. O primeiro da autoria do lobão na minha ótica foi uma tentativa falhada, e penso que seja esta também a opinião do autor, mas valeu a tentativa e por vezes para chegar a pratos divinais terão de ser corrigidos alguns problemas: Robalo curado com beterraba e ovas de cabra.

robalo.jpg

Daniel apresentou-nos um sonho de bochechas de bacalhau com maionese de lima e ovas de peixe voador. A acompanhar estes pratos a Herdade da Malhadinha com o seu branco.

 

Para terminar a Malhadinha serve-nos o seu famoso tinto para acompanhar o maravilhoso prato do Luís: Cuscos transmontanos de amêijoa cozinhados em caldo de terra e mar com veado, mel e cebolinho. Este prato fez-me arregalar os olhos, e literalmente babar-me, não fosse a maravilha dos cuscos e do veado. Fiquei a conhecer estes cuscos de Trás os Montes, um produto regional feito a partir do trigo de barbela que desconhecia até então.cuscos.jpg

Para finalizar a noite um gelado de coentros, pão-de-ló com sementes de coentros e abacaxi caramelizado acompanhado duma colheita tardia Latest Harvest Malhadinha.

gelado.jpg

A noite não ficaria completa sem Daniel nos apresentar a sua sobremesa de autor e que ao que parece é um dos ex-libris daquela casa: a Pavlova. Mas desta vez, foi em modo gigante servida como bolo de aniversário.

 

Para resumir a noite seria mais simples dizer que este desafio foi uma noite gastronómica Orgásmica.

 

A todos os elementos envolvidos felicito o trabalho, aos proprietários do espaço desejo a maior sorte e continuação na sua ascensão, a todos os que não conhecem o Armazém da Alfandega um conselho: Toca a conhecer.

Sal Poente: um pecado de sabores

Fevereiro 20, 2018

Um restaurante em Aveiro que é um verdadeiro sonho para todos os amantes de boa gastronomia.

sal fachada.jpg

Ocupando dois antigos armazéns de sal no Cais de São Roque em Aveiro, considerados património histórico da cidade, este restaurante detém um ambiente elegante e calmo o que se torna ótimo para jantares familiares, de amigos ou de negócios. Aqui a qualidade alia-se à inovação, ao design e à arquitetura.

 

A sua ementa é vasta mas detém dois trunfos importantes: a recriação da cozinha tradicional portuguesa confecionada com rigor e qualidade mas com um twist fabuloso, e o bacalhau: produto estrela do restaurante e da cidade, talvez por isso ambicionam ser o melhor restaurante de bacalhau em Portugal.

espaco_salpoente_015.jpg

 A cozinha está entregue ao chef Duarte Eira, natural de Vila Real e que figura no Top 5 dos “chefe cozinheiro de 2017”, vencedor do concurso de 2011 “A revolta do Bacalhau”. Duarte tem uma premissa que é “inovar, inovar, inovar”, talvez por isso os pratos que saem da sua cozinha são modernos, joviais, aliando a tradição e o sabor às tendências contemporâneas.

 

O cliente pode optar pelo menu de degustação do chefe ou pelo menu de bacalhau (preços variam entre 50€ e 60€ pax sem vinhos) ou apenas optar por escolher os seus pratos da carta variada e rica.

alheira.jpg

A nossa experiência gastronómica iniciou-se da melhor maneira com um amuse bouche do chef: alheira com lima e trufa regada de champanhe.

 

Como entrada optámos pela “Vieira e o Caviar” onde uma vieira corada se derrete em abóbora manteiga, Caviar e Queijo da Serra e pelo “Taco de tártaro de novilho marinhoa”.

vieira.jpg

tartaro.jpg

Á nossa mesa chegou posteriormente “A Garoupa e o Choco” onde uma tranche de garoupa se mesclava com choco frito, puré de batata com tinta de choco e pontuado com ervilhas com chouriço glaceadas, e “A caça e a Perdiz” uma junção mágica de peito de perdiz corado com crocante de perdiz, batata doce e legumes.

perdiz.jpg

garoupa.jpg

Para finalizar “o Limão” e “o Caramelo, o café e a fava Tonka” adoçaram o nosso palato. O primeiro como o próprio nome indica é uma representação do limão em diversas formas e texturas, enquanto o segundo é um leite-creme de fava tonka, café em crumble e creme, redução de baileis e gelado de caramelo salgado.

limao.jpgcafe.jpg

Esta experiência foi fabulosa, os preços não são os mais baratos mas sem dúvida aconselhável a todos os mortais. Serviço mesa e cozinha 5 estrelas. Um dos melhores restaurantes onde já marquei presença.

 

Degustar aqui no Sal Poente torna-se pecado...

 

Degust’AR: o restaurante monumental de Évora

Fevereiro 01, 2017

Slide1.JPG

 O Restaurante Degust’AR encontra-se perto do Aqueduto de Évora, mais propriamente no Edifício do Palácio Sepúlveda, hoje em dia transformado no boutique Hotel M’Ar de Ar, tem um ambiente requintado, confortável e intimista.

Debaixo dos tetos em abóbada, os arcos de ferradura e alguns frescos pontuais, vai degustar iguarias que têm como ponto de partida a cozinha alentejana mas que o chefe António Nobre lhe deu um twist e a desenvolveu tendo em conta as características e sabores mediterrâneos.

Enquanto aguarda pela sua mesa ou hora de marcação pode degustar um vinho alentejano da enorme garrafeira existente.

A carta é variada com entradas para partilhar com sabores alentejanos como por exemplo a farinheira de porco, o carpaccio de cação, queijo de Évora gratinado ou cogumelos frescos. Tem ainda à sua disposição pratos vegetarianos, pratos de peixe como bacalhau ou salmão, pratos de carne com os bifes de raça mertolenga, novilho, pato ou carré de borrego.

Slide2.JPG

 O preço médio ficará em 22€ por pessoa sem bebidas incluídas. No entanto, se tiver possibilidade arrisque o menu de Degustação por 44€ com vinhos alentejanos.

Uma seleção do Chefe completa que irá levá-lo aos céus. Inicia esta experiência com o couvert tradicional: azeitonas marinadas com citrinos e orégãos, azeite virgem, pão alentejano, pão de passas e pão de azeitonas, manteigas aromatizadas e paté do chefe; de seguida delicie-se com as entradas: corneto salgado com creme de queijo fresco, pasta de sapateira em massa folhada estaladiça e salada ibérica com vinagre de ervas alentejanas e vieiras em cama de tinta de choco com rebentos de coentros; segue-se um pequeno amouse bouche do chefe: creme de espargos verdes com tiras de presunto.

Slide3.JPG

Os pratos apresentados foram os seguintes: salmonete corado na frigideira, espuma e supremos de laranja com migas de poejo e hortelã da ribeira e Naco de novilho de raça mertolenga (DOP) com crosta de farinheira, ragôut de batata com cogumelos frescos, folhas de espinafres e castanha confitada.

Slide4.JPG

Slide5.JPG

Para terminar apresentaram a pré-sobremesa gelado de hortelã em cama de maça e para finalizar um misto de sobremesas típicas: encharcada, gelado de limão, sericaia e fidalgo.

Slide6.JPG

Slide7.JPG

A noite foi regada com vinho Eugénio Andrade branco fresco e vinho montes claros tinto e branco.

Aconselho vivamente a visitar e provar todos os sabores . Uma experiência gastronómica que não vai esquecer.

Pontuação

Comodidade 4/5

Atendimento 5/5

Preço 4/5

Comida 5/5

Bebidas 4/5

Relação qualidade/preço 4/5

Vai um jantar tipicamente americano?

Agosto 10, 2016

Ribs & Company, é um restaurante aberto no final do ano passado que trouxe a Portugal, mais propriamente às colinas do Cruzeiro em Odivelas, a um passo de Lisboa, o conceito do barbecue texano/ americano.

Slide4.JPG

De uma lista variada de entradas poderá optar pelos famosos nachos, jalapenos, as americanas asas de frango ou chili, um conceito americano que me fez recordar a minha visita a NYC - Nova Iorque e o fabuloso restaurante Club Dallas.

Como prato principal poderá optar pelos bifes, hambúrgueres, as carnes fumadas como frango ou as “gulosas” ribs.Slide2.JPG

Os pratos são generosos e poderá optar por dividir com amigos as combinações que o restaurante oferece para 2 ou 4 pessoas.

Um ambiente acolhedor e muito bem decorado transporta-o verdadeiramente para os Estados Unidos.Slide3.JPG

Para finalizar poderá optar por um sem numero de sobremesas desde os gelados sundaes, as Apple e lime pie, brownies ou as tradicionais cheesecake.

Slide1.JPG

Uma ótima escolha para degustar sabores americanos, não aconselhável a quem está de dieta.

Excelente serviço, decoração e sabores. Top.

simbolos secunsdarios cor-06.jpg

 

 

 

 

 

 

Francesinhas à moda do Porto em Odivelas

Dezembro 20, 2015

PhotoGrid_1450631391261.jpg

Hoje foi dia de provar as já famosas francesinhas à modo do Porto no Restaurante "O Marco" aqui bem perto de casa, em Odivelas, mais propriamente nas Colinas do Cruzeiro.

A ementa não é extensa, nem precisa, pois quem visita "O Marco" vem à procura das famosas sanduiches de carne à moda do Porto.

De uma escolha entre a Dragon (bastante picante), a Portuense, a Especial ou a Lady há Francesinhas para todos os gostos. O que difere o molho (picante ou nem tanto) e a qualidade das carnes (charcutaria - linguça e salsinhas frescas, fumadas, ou enlatadas).

Como não podia deixar de ser, tive de trazer os cotas para provarem, pois tal como eu são fãs de francesinha. 

A conta não foi por aí além, com bebidas, café e entradas (uns bons rissois de carne) ficou por 15€ por pessoa. acessível à maior parte dos comuns mortais para um almoço ou jantar bem delicioso.

As calorias, vamos lá esquecer isso neste prato de conforto.

 

Festas em Honra de Nossa Senhora da Graça

Setembro 29, 2015

festas.jpg

 

Reza a lenda que o terramoto de 1755, além de Lisboa, destruiu totalmente a aldeia de Santo André, aldeia de camponeses situada na atual freguesia de Colares.

Com a total destruição, os sobreviventes foram forçados a mudarem e reconstruírem as suas casas um pouco mais a sul, no cimo da encosta e aí nasceu Almoçageme.

Desde essa época que prestaram culto a Nossa Senhora da Graça que com a graça de Deus os protegeu e abençoou e lhes proporcionou novas vidas.

Assim em 1768 o povo começou a realizar as primeiras festividades em honra da padroeira, e desde essa data até hoje a Festa nunca ficou por celebrar. Se bem que habitualmente eram os jovens casais que tinham casado no ano anterior aos festejos que organizavam os mesmos, há alguns anos que essa situação se alterou. Assim por várias vezes, as instituições da terra ou grupos de amigos se juntaram para não deixarem morrer este espírito, o que aconteceu mais uma vez este ano.

Quase com 250 anos de tradição, as Festas em honra da Senhora da Graça vão voltar ao Largo de Almoçageme e abrilhantar as próximas noites.

Dia 02 de Outubro os Festejos abrem com chave de ouro e atuação da Cantora Popular Romana. As festas duram até dia 06 e pelo recinto das festas vão ainda passar o cantor popular Toy, a cantora/ fadista Filipa Sousa além de um sem número de grupos de baile, bandas filarmónicas, orquestras, animação musical com DJ’s. Um local a visitar para se divertir quer a ouvir música, quer a tentar a sua sorte na quermesse e na tômbola, ou degustar uns bons petiscos e pratos regionais nos bares e restaurante.

E como diria: Festa é Festa.

programa festas.jpg

 

Don Calzone em Janas desagradou

Agosto 24, 2015

logo.png

 

Durante este fim de semana, mais propriamente no sábado fui jantar a um restaurante italiano perto da casa dos meus pais que já conhecia há imenso tempo.

O Restaurante chama-se Don Calzone e era um dos meus restaurantes italianos preferidos, com uma ementa vasta mas com produtos de extrema qualidade.

No entanto, fiquei bastante desiludido, pois a qualidade da confeção piorou bastante face aos parâmetros a que estava habituado. É certo que não passou para um escalão de desagrado total mas também deixa muito a desejar.

O carpaccio que serviu de anti-pasti era seco e sem qualquer sabor fenomenal, acho que compraram em qualquer superfície comercial daquele embalado e dispuseram-no sobre uma cama de rúcula com 3 pingos de balsâmico para disfarçar.

Numa divisão de pratos provámos um calzone quatro estação, uma simples pizza de queijo e fiambre e tortellinis com recheio de ricota. Se bem que o calzone estava bem recheado e com produtos que aparentavam algum cuidado, por exemplo os camarões grandes e bem confecionados, a piza simples está do pior. O molho de tomate lembrava molhos comprados em hipermercados e dispunha sem qualquer gosto e cuidado fatias gigantes de fiambre.

Os tortellinis estavam bem cozidos, mas o seu recheio haveria de estar em qualquer outro local porque no meu prato não o encontrei, salvou o molho de tomate com cogumelos e Baco que envolvia aquela pasta.

As sobremesas salvaram a noite com os profiteroles regados com chocolate, gelado e natas e a pannacota deliciosa.

Final das contas acho bem que voltem a esforçar-se por conseguir manter a cliente, porque caso contrário correm o risco da má reputação.

Dou o beneficio da dúvida, pois o cozinheiro poderia estar de férias, em todo o caso é preciso cuidado na diferença de pratos que servem.

Slide2.JPG

 

Restaurante A Cidade em Lisboa

Agosto 13, 2015

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

As Rotas do mundo como tem sido habitual, tem dado a conhecer alguns restaurantes que tem frequentado, alguns deles já muito na berra, outros que estão agora a começar a sua travessia.

Aqui na Praça Sá Carneiro, no Areeiro, Lisboa, abriu há alguns/ poucos meses o Restaurante A Cidade, em estilo jovem e moderno mas que mistura também o tradicional.

Um restaurante pequeno mas bastante acolhedor que mistura o mobiliário rústico em cores brancas com padrões tradicionais mais modernos, e uma envolvência de tradicionais azulejos portugueses. Na rua uma boa esplanada para umas tardes e noites quentes oferecem mais alguns lugares a este local.

A ementa não é muito diversificada centrando-se numa saudável e moderna fast food, mas aparenta boa qualidade, sabor e originalidade. Aqui os pratos variam entre pizzas com nomes de bairros de Lisboa, saladas com nomes de fadistas, francesinhas à moda do Porto, os seus rissóis da cidade (em massa de pizza que não deixam de ser uma espécie de calzones) e os hambúrgueres em estilo “light gourmet”.

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

De tudo o que já experimentei, pois é um excelente e acessível restaurante para frequentar também à hora de almoço destaco a francesinha à bulhão bem recheada de boas carnes e com um molho bastante saboroso, e as pizzas de massa fina mas bastante “recheadas” de saborosos ingredientes.

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

Na carta poderá encontrar diversas bebidas, desde o fresquinho vinho verde à pressão, às caipirinhas ou aos gins (que tanto estão na moda).

A equipa é bastante jovem mas muito dedicada e simpática, sempre disponível e que prima pela qualidade do serviço.

Uma boa e barata opção quer para almoçar, jantar, ou simplesmente beber um copo ao final da tarde.

Slide3.JPG

 

Noite Italiana - Top Food

Julho 31, 2015

restaurante.jpg

 

Ontem foi a minha noite dedicada aos roteiros gastronómicos.

A escolha recaiu na cozinha italiana, mais propriamente, no Restaurante Bella Lisa Valmor, um restaurante italiano na Av. Visconde Valmor, nº 65ª, em Lisboa.

O ambiente relaxante e com uma decoração a recriar uma qualquer casa italiana transporta-nos automaticamente para essas paragens, a música que entoa e a simpatia de todos os empregados deixam felizes, descontraídos e bem-vindos a este restaurante.

carpaccio.jpg

 

Como entradas vieram para a mesa um carpaccio de carne de vitela em cama de rúcula e regada com um balsâmico italiano e umas bruschettas de queijo de cabra com framboesa e mel. Uma combinação perfeita em ambos os casos para degustar e saborear os sabores italianos.

alla forma.jpg

 

Depois entramos nos pratos, a opção recaiu num risoto de cogumelos Puccini que estava verdadeiramente divinal, um sabor terreno e que verdadeiramente nos vibra o palato, e um maravilhoso spaghetti ala forma, massa esparguete carregado de um fabuloso queijo parmesão, com cogumelos portobello e óleo de trufas negras, foi mais um prato digno dos deuses.

Tudo isto a acompanhar uma bela sangria de espumante que nos refresca e que nos alegra.

Saliento além dos excelentes paladares, da frescura dos alimentos a dedicação e simpatia do chefe de sala com a sua presença disponível e afável.

Um ótimo local a visitar para quem aprecia cozinha italiana e com grande relação qualidade/ preço. 

Para terminar a noite, e apesar da chuva miúda que caía sobre Lisboa, o que com o claro que estava nos remetia para os trópicos, fui até ao Chiado degustar um belo gelado italiano. Fui até ao Santini, que frequento desde criança em Cascais mas o qual já não visitava há algum tempo. A escolha foi para mim a mais acertada e a habitual, uma combinação da frescura do limão com o doce da meloa, num magnifico cone de baunilha amendoado.

Noite TOP

Slide4.JPG

 

 

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D