Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

O destino para cada Signo

Agosto 04, 2017

signo.jpg

Em tempo de férias para a maioria dos portugueses é provável que muitos deles se questionem para onde partir? Sim, porque dormir até tarde, estar sem rotinas e horários e apenas colocar os pezinhos na areia não é a escolha de todos.

Assim baseando-nos nas características de cada signo, fizemos a escolha certa para cada um. Claro, que para isso em primeiro lugar é preciso acreditar no horóscopo, caso acredite esta escolha poderá ser a acertada, caso não acredite veja apenas as nossas sugestões.

 

Carneiro – Mikonos, Grécia

Para os nativos deste signo que por norma são irrequietos, estar de férias é oposto a estar parado. Gostam de aventura, de conhecer pessoas e relaxar em contacto com a natureza.

 

Touro – Bali, Indonésia

Naturalmente são pessoas pacatas e pouco adeptas de agitação, por isso umas férias longe de grande reboliço são as ideais.

 

Gémeos – Nova Iorque, EUA

Super Cosmopolita, a escolha vai cair num dos destinos “In” do momento. A vontade de socializar diurna vai juntar-se à necessidade de animação noturna.

 

Caranguejo – Açores, Portugal

Muito Tradicional, adora férias em família. Aqui o local pouco interessa desde que esteja rodeado com o seu clã.

 

Leão – Banguecoque, Tailândia

Adoram destinos exóticos e luxuosos, tudo aquilo que a sua bolsa possa permitir. Descobrir lugares novos e conhecer pessoas diferentes é muito importante.

 

Virgem – Praga, República Checa

A curiosidade e a busca em aprender fazem deste signo um louco por descobrir destinos culturais.

 

Balança – Bora Bora, Polinésia Francesa

Nativos de balança por norma são muito românticos, portanto viagens a dois e destinos calmos, românticos e de beleza natural serão a escolha acertada.

 

Escorpião – Patagónia, Chile

Este signo gosta de emoções fortes e risco. Portanto todos os destinos com caráter de aventura são a escolha acertada.

 

Sagitário – Costa Rica

O destino terá de um exemplo perfeito de natureza. Quanto mais selvagem mais a satisfação. Se conseguir conciliar isso com o romantismo que o caracteriza será perfeito.

 

Capricórnio – Dubai, EAU

Apesar de muito dedicados ao trabalho, os nativos deste signo quando chega a época de férias optam por destinos onde o conforto material exista. Apreciador de luxo e conforto.

 

Aquário – Barcelona, Espanha

Férias com amigos são a escolha acertada para este signo e se conseguirem conciliar praia e cidade então alcança-se a perfeição.

 

Peixes – Vietname

Sonhadores e românticos têm preferência por locais mais tranquilos e se sentirem em segurança dentro do seu núcleo (seja grupo de amigos, família ou apenas companheiro/a).

 

Viajante – O mundo

Depois há os nativos do signo de Viajante, esses não têm um destino de sonho, nem de eleição, nem de preferência. O seu sonho é viajar e correr o mundo, sejam culturas ancestrais, cidades cosmopolitas, praias exóticas, selvas tropicais ou planícies calmas. Aqui tudo vale consoante o seu estado de espírito.

Um dia em Trier (roteiro)

Julho 05, 2017

igreja.JPG

 

Trier ou Tréveris é uma cidade histórica alemã bem pertinho do Luxemburgo, ora não desperdiçamos a hipótese de conhecer mais um local para o nosso “curriculum” e então lá demos um saltinho de comboio do Luxemburgo até esta pouco conhecida cidade (o bilhete de comboio que parte regularmente da gare central do Luxemburgo custa 9€ e cobre ida e volta).

 

Esta cidade histórica, foi fundada no século I como “Augusta Treverorum”, supostamente pelo imperador romano Augusto. A cidade torna-se no século 3 e 4 como a sede do governo do império e foi capital da província Bélgica Prima.

 

Devido à enorme importância, séculos mais tarde, foi totalmente devastada pelas invasões germânicas, e Tréveris nunca mais voltou aos dias de então, chegando a ter no século 17 apenas 3600 habitantes. A partir dessa data a cidade tem vindo a aumentar os seus habitantes, reconstruíram os edifícios e mantiveram as ruínas romanas. Hoje vive essencialmente do turismo e da vinha (aqui os vinhos e espumantes ganham visibilidade).

Penso que este enquadramento histórico seja importante para conhecer esta cidade e os seus principais monumentos.

 

O nosso dia começou bem cedo na Porta Negra, aliás pela experiência detetada, aconselho vivamente a quem descobrir esta cidade que comece a sua exploração por este monumento. É um edifício central e a apenas 10 minutos a pé da Trier Gare.

 

Vamos então conhecer alguns dos pontos de maior interesse:

porta negra.JPG

Porta Negra ou Porta Nigra – é a porta romana que daria acesso à antiga cidade romana de Trier, hoje em dia dá acesso à zona comercial e pedestre. Esta porta, datada de 180 AC, é considerada como a porta romana mais bem preservada do mundo, e na minha opinião é uma construção formidável, um vestígio romano como há poucos.

 

Colégio de Simeão ou Simeonstift – bem pertinho da Porta Negra ergue-se este colégio, outrora residência de padres com duas capelas, hoje transformado no museu municipal com uma coleção riquíssima desde os períodos romanos, medievais e modernos.

house.JPG

Casa dos 3 Magos ou Deikönigenhaus – um edifício que outrora foi a câmara municipal medieval (1230), hoje alberga comércio, mas não podemos deixar passar a sua fachada com estilos medievais.

 

Ala Judaica ou Judengasse – um túnel leve-nos até À antiga área judaica. Existem registos judeus desde o século 2. Uma zona bonita e muito pitoresca. Depois do holocausto nazi a zona perdeu praticamente todos os judeus.

praca.JPG

Praça do Mercado ou Hauptmakt – denominada deste modo pois em 882 AC foi aqui instalada a primeira praça comercial após a destruição germânica. Ainda hoje se pode apreciar uma coluna da cruz (marktkreuz) que data dessa era. A praça do mercado ainda hoje alberga o mercado, mas o seu maior esplendor é sem dúvida os edifícios que a circulam como: a Casa de Hóspedes (Steipe datada do século 16), a Casa Vermelha (Rotes Haus de 1683), a Farmácia mais antiga da Alemanha (Löwenapotheke do século XIII); e a Fonte de São Pedro (Petrusbrunnen) datada de 1495 com esculturas de São Pedro e das Quatro Virtudes.

catedral.JPG

Catedral – incorpora os restos de uma antiga igreja do século IV (igreja de São Pedro). Trata-se da mais antiga igreja da Alemanha, erguida em diversas etapas —do século 11 ao 14. Tem a forma de basílica com nave tripla, dois coros, transepto e seis torres. Na parte interna estão peças magníficas, como o túmulo do enviado papal Ivo (1134) e o altar da sepultura do arcebispo Richard Von Greifenclau (1531).

igreja prin.JPG

Igreja de Nossa Senhora ou Liebfrauenkirche – Edificio Contíguo à catedral, foi construída em 1235 sendo um dos primeiros exemplos da arquitetura gótica alemã. A planta foi baseada na cruz grega e a torre acima da cúpula acentua a intersecção das naves. O portal oeste é ricamente decorado com ornamentos. Na parte interna observam-se magníficas relíquias, entre elas os frescos do século 15 pintados em doze colunas, que simbolizam os apostólos.

ala papalatina.JPG

palacio.JPG

Aula Palatina ou Konstantinsbasilika – Esta Basílica data de 310DC , é uma construção de tijolos com forma alongada e retangular. Mede 67 m de comprimento, 27,5 m de largura e 30 m de altura e exibe uma grandea abside semicircular, que abrigava o trono do imperador romano. No século 17, o Aula Palatina passou a fazer parte do recém construído Palácio Eleitoral (Kurfürstliches Palais) e a parede leste foi parcialmente demolida. O rei Frederico Guilherme IV da Prússia ordenou a reconstrução da Aula Palatina, que desde 1856 abriga a igreja protestante de São Salvador.

 

Termas imperiais ou Kaiserthermen – Construídas no início do século 4, durante o reinado de Cosntantino, elas eram o terceiro maior complexo de termas do mundo romano. As ruínas das paredes e fundações ainda exibem o desenho original. As paredes do caldário (a sala com piscina de água quente) são as mais preservadas. Depois vem o tepidário, as termas mornas. O espaçoso frigidário era usado para os banhos frios e a palestra, uma área externa para os exercícios, também era ampla. Outra parte remanescente é o sistema de aquecimento (hipocausto), no qual o ar era aquecido por fornalhas e conduzido por baixo do piso.

anfiteatro.JPG

Anfiteatro – Perto das termas imperiais ficam as ruínas do anfiteatro romano do século I, cenário de lutas de gladiadores e competições de animais. Toda a estrutura, constituída de uma arena elíptica e uma arquibancada, era cercada por uma muralha alta, dividida em andares por arcadas. No século, os habitantes de Tréveris usavam o anfiteatro como refúgio durante os frequentes ataques das tribos germânicas.

 

Termas de Bárbara – são mais um exemplo de termas romanas de Trier, datadas do século 2. Apesar de em ruínas ainda podemos vislumbrar o fabuloso sistema subterrâneo, as piscinas e o sistema de aquecimento.

ponte.JPG

Ponte Romana – situado na porta oeste da cidade ergue-se a ponte datada de 144AC

 

casa marx.JPG

Casa de Karl Marx – casa museu onde em 05 Maio de 1818 terá nascido Karl Marx, filósofo e pensador que escreveu “O Capital” e o “Manifestos Comunistas”. A casa além de museu sobre o próprio e um excelente exemplo de uma casa burguesa de 1727

 

Igreja são Paulo – Igreja católica datada de 1734 com tetos maravilhosamente pintados e um altas esculpido por Ferdinand Tietz.

 

Aproveita esta visita e delicia-te com um famoso prato alemão regado por um bom espumante da região. De certeza que vai ficar deliciado.

 

Acompanha toda esta aventura por Terras do Luxemburgo.

Évora: o Recanto de Diana

Janeiro 30, 2017

diana1.JPG

Esta cidade com cerca de 50000 habitantes, capital de município e de distrito está situada na região centro do nosso Alentejo, mais propriamente na sub-região do Alentejo central. Évora é um gigante município com 1307 km2 o que a torna no 5º maior município português.

Terra de extrema beleza é por muitos conhecida como cidade-Museu, devido ao seu centro histórico muito bem preservado e aos muito ricos monumentos. Évora é a única cidade portuguesa membro da rede de Cidades Europeias mais antigas. O seu centro é considerado desde 1986 Património Mundial pela UNESCO.

A História de Évora é muito antiga, remonta mesmo ao período megalítico, bem visível nos monumentos dessa época que circundam a cidade como a anta do Zambujeiro e o Cromeleque dos Almendres. Não se consegue comprovar mas calcula-se que Évora cidade tenha surgido antes dos romanos.

Segundo reza a lenda popularizada por André de Resende (1500), esta cidade terá sido sede das tropas do general romano Sertório que em conjunto com os lusitanos enfrentaram o poder de Roma. Não sabemos se será verdade, mas a certeza da ligação desta cidade a Roma está bem visível nas ruínas do Templo de Diana.

Évora tem um património riquíssimo. Apresento algumas que na minha opinião são obrigatórias de visitar.

Visite o Templo de Diana, pois é sem dúvida um dos monumentos do período romano mais importantes do nosso país. Terá sido construído no século I para homenagear o imperador e foi-lhe atribuído o nome de Templo de Diana posteriormente, talvez pela ligação da cidade à caça.

diana2.JPG

 A Sé de Évora envergando a sua arquitetura gótica, foi construída nos séculos XIII e XIV, uma das catedrais medievais mais importantes do nosso país, construída à semelhança da Sé da capital. Atenção aos horários pois rapidamente pode perder a hipótese de subir até ao terraço onde obtém uma impressionante visão da cidade.

O Palácio de D. Manuel é uma obra prima da arquitetura manuelina e renascentista, que facilmente pode observar até o percorrer dos jardins públicos.

se.JPG

 A Igreja de São Francisco mandada erigir por D. João II e terminada por D. Manuel mistura os estilos góticos e manuelino. Detalhe principal da abóbada de pedra e do altar mor.

O Convento dos Loios é um exemplo também do estilo gótico e manuelino. Hoje alberga a pousada dos loios onde pode passar uma noite ou degustar um manjar de reis no seu restaurante.

Para finalizar não poderíamos deixar de visitar A Capela dos Ossos situada na Igreja de são Francisco, data do século XVII e tem a particularidade de ser totalmente forrada com ossos humanos.

“Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”

ossos.JPG

Além do Património histórico que esta terra oferece muitas são as atividades que pode fazer culturalmente, socialmente ou gastronomicamente.

Comecemos por um passeio não nos “tuk tuks” que enchem a capital lisboeta, mas sim um passeio num automóvel clássico que o espera na praça principal e que consigo pode levá-lo a conhecer a cidade.

Depois não se esqueça de passear pela Praça do Rossio, ou do Giraldo, aqui pode conviver com os locais, ou fazer umas comprinhas quer de produtos típicos da região ou qualquer produto que imaginar – é como se estivesse num centro comercial a céu aberto.

ruas.JPG

 Antes de finalizar este passeio aconselho a visitar pela manhã o mercado municipal de Évora, mesmo às portas da capela dos Ossos, onde pode encontrar vinho, azeite, queijos ou produtos de charcutaria da região que detêm extrema qualidade.

Não pode deixar de experienciar e apreciar a cultura alentejana, e para isso passe no Espaço Celeiros às quartas-feira para ouvir o cante alentejano considerado património imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Consulte antes de partir a agenda cultural da cidade e aprecie um espetáculo de teatro, musical, exposições ou concertos que ocupam a vida cultural da cidade. Seja na Arena de Évora, na Universidade de Évora, no Fórum da Fundação Eugénio de Almeida ou no Teatro Garcia de Resende.

Portanto as atividades de lazer que pode fazer são mesmo muitas, além de que pode apenas relaxar a ouvir os passarinhos e apreciar a beleza das planícies alentejanas.

evora1.JPG

 Além da história, do património e das atividades lúdicas que esta terra oferece, um ex-líbris da região é sem dúvida a sua gastronomia. Aqui pode optar por pratos de carne com extrema qualidade e muito variada, pelo peixe de rio ou pelos doces tradicionais que são divinais. O javali, o porco, e o borrego são os príncipes, deixando o simples pão como o rei da gastronomia alentejana.

Prove os mais variados pratos desde as entradas – queijos, enchidos, azeitonas e presunto; aos pratos principais como o ensopado de borrego, sopa de cação, açorda à alentejana, migas com carne de porco, sargalheta, gaspacho ou pratos de caça: javali, lebre e perdiz.

Acompanhe o nosso blog e descubra as preciosas iguarias que provámos em todo o nosso roteiro.

E para degustar todas estas iguarias nada melhor do que visitar alguns dos melhores restaurantes da região. Elejo 2 restaurantes que primam pela qualidade.

O Restaurante Degust’ar, situado no hotel M’ar de Ar Aqueduto, antigo palácio dos Sepúlvedas que mistura a cozinha alentejana, mas que desenvolve criativamente esta gastronomia misturando-a com influências mediterrânicas. Tudo isto com o toque do chefe António nobre.

Se conseguir prove o menu de degustação, são vários pratos que lhe vão ser servidos sempre acompanhados de vinhos de extrema qualidade da região.

O Restaurante Malagueta, ou melhor será dizer o cantinho dos petiscos, onde pode apreciar produtos típicos alentejanos no mais natural possível. Comida caseira que mostra o verdadeiro sabor do Alentejo.

Depois temos a doçaria diversa alentejana mas não deixe de passar no Café da Arcada e prove as típicas Queijadas de Évora, vai valer a pena as calorias a mais.

Está comprovado que a gastronomia é um dos pontos fortes desta região, aliás além do turismo são exatamente atividades como a vinha, a agropecuária e a agricultura que são as principais atividades económicas de Évora.

Depois de tantas atividades e passeios é hora de relaxar e nada melhor que optar por um dos hotéis e espaços de turismo que esta zona oferece.

Ficámos hospedados no Évora Hotel, um hotel simples e familiar e com uma boa relação qualidade/preço. Acompanhe a nossa crítica no blog.

Évora tem assim muito para oferecer e muito para ser descoberto. É um local fabuloso em qualquer altura do ano desde os meses mais frios, aos meses de Verão.

descobrir portugal.jpg

 

Descobrir Portugal: Montemor-o-novo

Janeiro 27, 2017

E começou a primeira aventura de Descobrir Portugal por terras alentejanas. O primeiro passo para conhecer o que temos de belo e bom pertinho de nós. Depois de mais uma sexta-feira de trabalho, partir de Lisboa em direcção a Montemor-o-novo, pequena cidade centro alentejana que apesar do pouco desenvolvimento e da pouca população é um dos maiores municípios portugueses em área geográfica. Aproveite o contacto com as simpáticas gentes, a simplicidade da cidade, a brancura das casas, e o avistar dos telhados e janelas rodeadas de azul. Depois suba ao principal ponto turistico da cidade, o castelo de Montemor. Vá até ao centro de interpretação ou às belas igrejas. O frio deste Inverno agreste que queima a pele, mas o por do sol lindo que aquece a alma. Depois da breve paragem as rotas do mundo partem a direcção a Évora.

IMG_20170127_174647.jpg

 

IMG_20170127_175132.jpg

 

descobrir portugal.jpg

 

Jugoslávia: A Próxima Paragem

Agosto 31, 2016

Os dias vão passando e começou o countdown para as Rotas do Mundo partirem em descoberta de um novo destino, desta vez elegendo alguns dos Países pertencentes à Antiga Jugoslávia.

Os mais antigos sabem bem do que falo, mas os mais novos perguntam onde fica esse país?

Esse país, que neste momento já não é um país fica no sul da Europa, mais propriamente ente a Itália e a Grécia. Um território que sempre viveu com fortes tensões políticas e guerras civis, que pertenceu ao império austro-húngaro e que após a primeira guerra mundial nasce como país.

A sua criação originou na anexação de vários territórios compostos por “tribos” culturais diferentes, o que desde cedo originou divergências extremas. Um período, com pouco mais de 20 anos de história de lutas ideológicas e algumas revoluções à mistura, que terminou com a chegada da Invasão de Hitler.

Após a 2ª Guerra Mundial, e a vitória dos aliados a força socialista/ comunista manteve este território na sua esfera política. Era mais uma Republica socialista Soviética.

A instabilidade continua desde 1945 até 1989 com a queda do regime comunista. A partir daí começam a surgir eleições livres nas respetivas republicas.

Slide1.JPG

Em 1990, surgem os primeiros países independentes desta multiculturalidade: Croácia e Eslovénia. Em 1991, tornam-se independentes a Macedónia e a Bósnia.

Tudo parecia estar a correr bem, mas a perda de territórios a incorreta divisão de fronteiras, faz com que guerras civis se estendam até 1999, já bem perto da atualidade, com guerras onde até existiram presença de militares portugueses, como é o caso do Kosovo.

Apenas em 2006, o Montenegro e o Kosovo tornam-se independentes da Sérvia.

Agora são 7 países com boas relações diplomáticas, alguns pertencentes à União europeia, alguns adotaram o Euro como moeda oficial, sendo eles: Bósnia e Herzegovina, Croácia, Kosovo, Macedónia, Montenegro, Sérvia e Eslovénia.

As Rotas do mundo passarão por 5 destes países: Eslovénia, Croácia, Montenegro, Bósnia e Sérvia (excluímos Kosovo e Macedónia, que ficarão para uma próxima etapa dos Balcãs).

Serão muitos quilómetros, serão muitas fronteiras, serão vários tipos de moeda, serão muitas línguas, serão diversas paisagens: Serras, montanhas, planícies, lagos, cascatas, praias, cidades, ilhas, mares, rios, frio, calor, mundos turísticos e paraísos selvagens.

As rotas do Mundo prometem fotos, vídeos e um acompanhamento o mais diário possível do roteiro.

Slide1.JPG

 Rotas do Mundo

Aqui me encontro

Novidades: Conhecer Portugal

Julho 15, 2015

conhecer portugal.jpg

 

Hoje trago novidades.

A partir de sábado e durante os próximos 2 meses O Rotas do Mundo vai tentar dar a conhecer um pouco de Portugal.

Para ser um viajante, um descobridor ou meramente um turista é importante antes de conhecer o que está longe, conhecer primeiro aquilo que o rodeia. Na minha opinião só assim poderá comparar, analisar, perceber e compreender outras culturas.

Deste modo, a minha promessa é apenas o de tentar reunir o máximo de informação útil e dar a conhecer um pouco do nosso país.

O meu objetivo será o de uma zona por semana, mas quanto a isto não quero prometer, pois posso não conseguir cumprir. Espero descobrir algum local mágico aqui no nosso belo país que ainda me seja desconhecido e que deslumbre os nossos leitores.

Vou tentar abordar temas como: paisagens, gastronomia local, artesanato, tradições, histórias, monumentos, e muito mais 

Claro está que todos os comentários vão também ajudar a inaltecer as minhas descobertas.

Portanto já no próximo fim de semana começará Conhecer Portugal - A Minha Terra.

 

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D