Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Sintra com Caprichos de Goya

Julho 08, 2017

goya.jpg

 

No próximo dia 11 de Julho o MU.SA – museu das Artes de Sintra inaugura a exposição Caprichos de Goya, uma parceira entre a autarquia e a CulturSintra, que irá proporcionar aos seus visitantes um contacto com as 80 gravuras deste pintor espanhol.

 

Esta exposição mundial já esteve em Lisboa em 2015, aliás onde ocorreu a sua estreia, e conta com 80 gravuras que são um esboço crítico social. Estão nestas gravuras de Goya espelhada a sociedade espanhol oitocentista, desde o povo, ao clero e nobreza, refletem vícios e maus costumes. E passado mais de 200 anos continuem atuais.

 

Goya, para os que não conhecem foi um pintor da corte espanhola (1746-1828) fundador do movimento romântico e precursor do impressionismo, considerado um dos maiores mestres da pintura do século 18.

 

“Caprichos” nasceu durante um período de debilidade do pintor, onde este observou a sociedade que o rodeava e quis transpor para a ponta do pincel todos esses “podres”.

 

Para quem não conhece a obra, tem oportunidade de a ficar a conhecer em Sintra até ao próximo dia 10 de Setembro.

Recantos de uma Serra Mágica

Novembro 21, 2015

A beleza é algo difícil de explicar, pois o que para mim é belo pode causar outro qualquer sentimento a um indíviduo diferente. Mas uma coisa tenho a certeza, a minha Serra de Sintra é mágica, acordar cedo e ver o levantar do nevoeiro destapar a Serra e o Mar é milagroso.

IMG_20151121_124244.jpg

Aqui neste pequeno recanto do país, onde a terra acaba e o mar começa, podemos encontrar recantos mágicos, calmos, lindos, românticos ou melancólicos.

Do abrir da minha janela vejo ao fundo o mar, e aquele imponente farol que outrora gritava aos barcos que passavam ao largo da costa que aqui era a terra da magia.

IMG_20151121_123114.jpg

Os rochedos ingremes protegem-nos das bravuras do Atlântico e no sopé da serra, as altas e centenárias árvores, fazem com que este recanto mergulhe na sombra da magia.

IMG_20151121_124014.jpg

Por entre elas, os raios de sol brilham, o musgo e as heras crescem num enrolado sem fim, as pedras choram gotas de orvalho, e as fontes riem ao som do cair da água.

IMG_20151121_124702.jpg

Nos lagos podemos imaginar o nascer das ninfas e deusas de outros tempos, as palavras não precisam de ecoar, basta o silêncio, o mágico silêncio.

IMG_20151121_125743.jpg

Aqui na Serra de Sintra, por entre o verde emergem castelos, conventos, ermidas. Os mouros por aqui viveram, os reis por aqui reinaram, os deuses por aqui permanecem mantendo a vitalidade da natureza. Até Baco, ou outro quaslquer deus, deu o doce às uvas para nascer o vinho de Colares.

IMG_20151121_130505.jpg

É deste recanto de sonho que parto nas rotas do mundo, que voo e conheço outras culturas, que saio para o reboliço de uma cidade, que gozo por ver tudo e aprender mais. Mas este desejo de partir está sempre assente no gosto de regressar.

Don Calzone em Janas desagradou

Agosto 24, 2015

logo.png

 

Durante este fim de semana, mais propriamente no sábado fui jantar a um restaurante italiano perto da casa dos meus pais que já conhecia há imenso tempo.

O Restaurante chama-se Don Calzone e era um dos meus restaurantes italianos preferidos, com uma ementa vasta mas com produtos de extrema qualidade.

No entanto, fiquei bastante desiludido, pois a qualidade da confeção piorou bastante face aos parâmetros a que estava habituado. É certo que não passou para um escalão de desagrado total mas também deixa muito a desejar.

O carpaccio que serviu de anti-pasti era seco e sem qualquer sabor fenomenal, acho que compraram em qualquer superfície comercial daquele embalado e dispuseram-no sobre uma cama de rúcula com 3 pingos de balsâmico para disfarçar.

Numa divisão de pratos provámos um calzone quatro estação, uma simples pizza de queijo e fiambre e tortellinis com recheio de ricota. Se bem que o calzone estava bem recheado e com produtos que aparentavam algum cuidado, por exemplo os camarões grandes e bem confecionados, a piza simples está do pior. O molho de tomate lembrava molhos comprados em hipermercados e dispunha sem qualquer gosto e cuidado fatias gigantes de fiambre.

Os tortellinis estavam bem cozidos, mas o seu recheio haveria de estar em qualquer outro local porque no meu prato não o encontrei, salvou o molho de tomate com cogumelos e Baco que envolvia aquela pasta.

As sobremesas salvaram a noite com os profiteroles regados com chocolate, gelado e natas e a pannacota deliciosa.

Final das contas acho bem que voltem a esforçar-se por conseguir manter a cliente, porque caso contrário correm o risco da má reputação.

Dou o beneficio da dúvida, pois o cozinheiro poderia estar de férias, em todo o caso é preciso cuidado na diferença de pratos que servem.

Slide2.JPG

 

Cortejo de Oferendas em Almoçageme - Colares - Sintra

Agosto 19, 2015

No próximo domingo dia 23 de Agosto pelas 14 horas volta o Cortejo de Oferendas a percorrer as ruas de Almoçageme e a instalar-se no Largo para o tradicional leilão de produtos hortícolas e frutícolas.

Para quem não sabe o Cortejo de oferendas é uma tradição bastante antiga, onde existe como o próprio nome indica um cortejo (hoje em dia de carrinhas e tratores, outrora em carroças) apinhado dos produtos saloios mais frescos cultivados nesta linda freguesia de Colares, que foram ofertados pela população de Almoçageme, Stº. André e Casas Novas, com o intuito de efetuar-se um leilão desses mesmos produtos para obter receitas com fim de beneficência.

A todos os que conhecem são sempre bem-vindos mais um ano, a quem não conhece é uma excelente oportunidade de encher a dispensa neste final do mês, aqui pode comprar a preços de leilão que por norma são bastante baixos muita fruta de qualidade (maçãs novas, peras, laranjas e os raros pêssegos rosa que só existem em Colares, uvas, melão e afins) leguminosas e hortaliças bem frescas apanhadas no dia anterior ou na própria manhã, batatas, alhos e cebolas. Produtos de grande qualidade e biológicos.

cartaz cortejo oferendas.jpg

 

Além dos produtos frescos existem também grandes oportunidades como excelentes garrafas de vinho da região, por vezes até pode encontrar Vinho Ramisco de Colares, pode adquirir ainda alguns animais de capoeira ou outros produtos diversos que tenham sido ofertados.

Este ano o cortejo de Oferendas é organizado pela jovem Comissão de Festas em Honra de Nossa Senhora da Graça 2015, e os rendimentos obtidos servirão para a organização das nossas festas populares tradicionais de outubro.

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Graça é sem dúvida uma das festas populares mais antigas e sem interrupção desde a sua criação. Desde 1768 que todos os anos no primeiro Domingo de Outubro a Nossa Senhora da Graça sai à rua para abençoar as gentes de Almoçageme e restantes devotos, e para comemorar existem 5 dias de festa que são uma maravilha.

O convite está feito. Este Domingo há Cortejo de Oferendas e em Outubro há festa da Graça.

As receitas destinam-se a ajudar as instituições solidárias da terra como os Bombeiros Voluntários e a Sociedade Recreativa entre outras e para a organização das Comemorações dos 250 anos das Festas em honra da padroeira.

A tradição não pode morrer por isso desde já os meus votos de sucesso à comissão.

loso sra. graca.jpg

 

Os Carvalho

Julho 08, 2015

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

Pois é...

E descobri que descendo de gente brasonada.

O nome de Carvalho ao que parece é tomado do antigo Morgado de Carvalho, em terras de Coimbra, mais propriamente de Penacova, junto à Serra do Carvalho, terras estas dadas a D. Bartolomeu Domingues por João de Aviz aquando a Batalha de Aljubarrota.

Esta família tem a sua antiguidade e pureza de sangue comprovada pela constatação de uma doação feita ao mosteiro de Lorvão em 1131, assinada por Pelagius Carvalis (Payo Carvalho) senhor de toda a terra em que está inserido o Morgado de Carvalho.

Um dos “nossos” grandes homens e nobres portugueses foi marquês de Pombal.

Como o nome indica, nome de árvore, designa que o nome designa família de cristão novo, porventura neste caso mouros convertidos ao catolicismo.

A nossa família está registada hieraldicamente nos principais 72 brasões da alta nobreza em Portugal do século 16, aliás até os podemos ver em Sintra no Palácio da Vila.

Há belezas aqui tão perto - Praia da Ursa

Julho 06, 2015

ursa.jpg

 

Não sou a pessoa mais viajada do mundo, mas já tenho na bagagem alguns destinos.

Já estive em Praias na maioria dos mares e em todos os Oceanos, umas com água quente, outras gélidas, águas verdes, azuis, turqueza, transparente, escuras.

Algumas com paisagens verdejantes a chegar à beira-mar, outras com ondas que rebentam em paisagens desérticas.

Se tiver em conta qualidade de água, beleza da Praia, temperatura do mar e fauna e flora marítima tenho de escolher as belas Praias de Ko Phanang na Tailândia como as jóias da coroa.

ursa meio.jpg

 

No entanto não me posso esquecer das belezas que tenho à beira da porta - Praia da Ursa - uma praia com uma beleza sem igual, guardada por rochedos e falésias abruptas e que nos transportam para um local místico, calmo e onde podemos contemplar o sossego e a solidão.

Se há uns anos atrás quando a frequentava esta praia era conhecida por muito poucos, e frequentada na maior parte por pescadores e por nudistas, hoje tornou-se uma praia internacional e de familia. É a consequência das redes sociais e da internet que põe a Praia da Ursa, mesmo encostada ao Cabo da Roca, na mira dos turistas aventureiros.

Ontem foi o dia de lá regressar depois de dois anos de ausência, e a beleza continua a mesma.

ursaesq.jpg

 

Praia da Ursa uma das mais belas praias do mundo.

Sintra - Praias Bandeira Azul 2015

Maio 01, 2015

C__Data_Users_DefApps_AppData_INTERNETEXPLORER_Tem

 

Entramos em Maio e caminhamos a passos largos para a abertura de mais uma época balnear.

Vivendo a escassos 2 km do mar, aqui no sopé da Serra de Sintra, a minha vida sempre foi em contato com as belas praias existententes no concelho de Sintra.

Claro que as minhas praias de eleição são a Praia da Ursa na Azoia, praia sem vigilância e conhecida por toda a comunidade naturista e a Praia da Adraga em Almoçageme. Mas sou um apaixonado por toda a nossa costa e acredito que temos das praias melhores e mais bonitas do mundo, aliás por diversas vezes várias publicações internacionais concordaram comigo.

Ao abrir o jornal hoje e ao ver a lista das 299 praias portuguesas que alcançaram o galardão de bandeira azul reparo que no concelho de Sintra não há nenhuma praia com o devido reconhecimento.

Aqui na volta cascais detem 12 praias com bandeira azul, lourinhã 3, Mafra 6, Torres Vedras 10, Peniche 6. E Sintra?

Fiquei intrigado e fui ler um pouco sobre o tema.

Ora este galardão além da acreditação da qualidade da praia e do seu mar é uma forma de destaque turístico, algo tão defendido pelo atual executivo da Câmara Municipal Sintra enquanto fazia campanha política.

Fui tentar descobrir os critérios de avaliação - Informação e educação ambiental, Qualidade da água, Gestão ambiental e equipamentos e Segurança e serviços - e concluo que na maior parte, se não em todos os critérios existe uma responsabiluzação da autarquia local para a concretização de todos os pontos.

E assim há 3 possíveis razões para não termos qualquer bandeira azul em Sintra: A autarquia e entidades responsáveis nada fazem para que as nossas praias tenham qualidade, poderá também ser que o turismo é importante para a autarquia mas não interessa divulgar as suas costas pois podia trazer enchentes de estrangeiros ás localidades onde muitos políticos de todos os quadrantes detem as suas mansões erigidas em zonas de paisagem natural protegida, ou simplesmentemente nem sequer concorreram e nesse caso acho mal, mas que com um manifesto ou um simples comentário pode ilucidar dúvidas como a minha.

E pela busca que fiz nos meios de comunicação de hoje não vi nenhuma declaração.

Seja como for está na hora de apostar verdadeiramente no turismo em Sintra e em particular na minha freguesia de Colares.

Não podemos ser apenas um ponto de passagem ao Cabo da Roca, uma visita diária a Sintra para depois voltarem as dormidas em Cascais e Lisboa.

Ja toda a gente percebeu que a economia portuguesa vai desenvolver muito assente no turismo por isso estamos há espera do quê?

Se não quiserem desenvolver tomem medidas como o Antonio Costa em Lisboa. Taxa de 1 euro a cada estrangeiro que visita a Roca - taxa municipal para melhoramento da orla costeira...

Mesmo assim com ou sem bandeira azul estou desejoso que chegue o calor para nergulhar nas águas gélidas da Adraga.

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D