Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rotas do Mundo

Pedro around the World... My life, my dreams, my favourite things

Cortejo de Oferendas em Almoçageme - Colares - Sintra

Agosto 19, 2015

No próximo domingo dia 23 de Agosto pelas 14 horas volta o Cortejo de Oferendas a percorrer as ruas de Almoçageme e a instalar-se no Largo para o tradicional leilão de produtos hortícolas e frutícolas.

Para quem não sabe o Cortejo de oferendas é uma tradição bastante antiga, onde existe como o próprio nome indica um cortejo (hoje em dia de carrinhas e tratores, outrora em carroças) apinhado dos produtos saloios mais frescos cultivados nesta linda freguesia de Colares, que foram ofertados pela população de Almoçageme, Stº. André e Casas Novas, com o intuito de efetuar-se um leilão desses mesmos produtos para obter receitas com fim de beneficência.

A todos os que conhecem são sempre bem-vindos mais um ano, a quem não conhece é uma excelente oportunidade de encher a dispensa neste final do mês, aqui pode comprar a preços de leilão que por norma são bastante baixos muita fruta de qualidade (maçãs novas, peras, laranjas e os raros pêssegos rosa que só existem em Colares, uvas, melão e afins) leguminosas e hortaliças bem frescas apanhadas no dia anterior ou na própria manhã, batatas, alhos e cebolas. Produtos de grande qualidade e biológicos.

cartaz cortejo oferendas.jpg

 

Além dos produtos frescos existem também grandes oportunidades como excelentes garrafas de vinho da região, por vezes até pode encontrar Vinho Ramisco de Colares, pode adquirir ainda alguns animais de capoeira ou outros produtos diversos que tenham sido ofertados.

Este ano o cortejo de Oferendas é organizado pela jovem Comissão de Festas em Honra de Nossa Senhora da Graça 2015, e os rendimentos obtidos servirão para a organização das nossas festas populares tradicionais de outubro.

A Festa em Honra de Nossa Senhora da Graça é sem dúvida uma das festas populares mais antigas e sem interrupção desde a sua criação. Desde 1768 que todos os anos no primeiro Domingo de Outubro a Nossa Senhora da Graça sai à rua para abençoar as gentes de Almoçageme e restantes devotos, e para comemorar existem 5 dias de festa que são uma maravilha.

O convite está feito. Este Domingo há Cortejo de Oferendas e em Outubro há festa da Graça.

As receitas destinam-se a ajudar as instituições solidárias da terra como os Bombeiros Voluntários e a Sociedade Recreativa entre outras e para a organização das Comemorações dos 250 anos das Festas em honra da padroeira.

A tradição não pode morrer por isso desde já os meus votos de sucesso à comissão.

loso sra. graca.jpg

 

São João - Que saudades das fogueiras

Junho 23, 2015

 

 

fogueira.jpg

 

Se o tempo voltasse atrás possivelmente estaria no meio do meu grupo de amigos a carregar lenha para as fogueiras desta noite.

Ali se juntaria a aldeia em volta do lume, saltando por cima das labaredas, com música popular que emanava de um rádio a cassetes improvisado.

Brincávamos às escondidas, intervalando os saltos na fogueira, queimávamos as alcachofras e escondiamo-las para saber se floriam ou não.

Mais tarde uns chouriços assados para comer com uma bela fatia de pão saloio e uns refrescos tang para acompanhar.

Agora, essas tradições acabaram, por isso está decidido para o ano quero ir ao Porto brincar ao São João.

Tapete de Arroiolos quer ser Património Imaterial da Humanidade

Maio 21, 2015

arraiolos.jpg

 

Mais uma candidatura portuguesa a Património Imaterial da Humanidade, desta vez, é o Tapete de Arraiolos, obviamente e como o nome indica estes tapetes tiveram a sua origem em Arraiolos, alentejo, mas hoje por todo o país se fazem estes tapetes que têm valores e preços muito elevado.

É sempre bom, e de reconhecimento, este esforço pela cultura e tradições portuguesas.

Há quem adore, há quem os odeie, mas agora com uma tendência para tudo o que é vintage e kitsh pode ser que a moda volte a pegar.

A iniciativa é boa, põe Portugal nas bocas do mundo e é algo que pode aumentar as exportações.

A iniciativa começou no Vaticano, com a oferta de um dos nossos tapetes ao papa Francisco, provavelmente em pouco tempo toda a gente o poderá apreciar num dos museus do Vaticano.

Depois do Fado e do Cante alentejano vamos lá levar o Tapete de Arraiolos às bocas do mundo.

A Páscoa e as minhas tradições

Abril 02, 2015

pascoa.jpg

 

Foi há milhares de anos que a Páscoa, cristã, começou a ter as suas celebrações, mas a sua tradição inicial chegou muito antes disso.

Celebrada por muitas religiões, cada qual festejando por motivos diferentes, entre os quais os celtas que comemoravam o ínicio da Primavera.

As minhas tradições assentam numa morte de Cristo e da sua resurreição no próximo Domingo. Se formos a analisar bem as coisas é o rejuvenescer, o renascer, o desabrochar tal como a chegada da Primavera.

Hoje e desde há alguns anos a esta parte, a Páscoa começa na 5ª feira com um almoço de confraternização com os meus colegas de trabalho. Este ano lá vou ter com o pessoal da Av. Berna. Apesar de ter saído de lá em Outubro, estes amigos lembraram-se de mim e convidaram-me para festejar com eles. É uma prova da amizade, do respeito, e do espírito de equipa e sacrífico que ficou durante 2 anos e meio de trabalho em conjunto.

roca.jpg

 

Depois chega a 6ª feira, dia de em tempos rumar toda a família ao Mar para apanhar percebes, mexilhões e lapas. Agora que a idade começa a pesar nos meus parentes mais velhos deixamos de descer as arribas do Cabo da Roca para irmos apenas ao mercado buscar as tão desejadas conchas. Para mim que não sou muito fã, abençoadas conquilhas que me enchem o estômago.

No Domingo, por norma, almoço em família onde se volta a comer a carne e termina o jejum. Algum assado no forno vai fazer-nos companhia à mesa. Este ano, em festa dupla para comemorar o 50º aniversário do meu tio.

Este ano ficamos assim, mas em tempos, a Páscoa prolongava-se na 2ª feira. Na Terra perdida da Beira Baixa - Ladoeiro, na 2ª feira a seguir à Pascoa, toda a gente rumava aos montes em peregrinação à Santa Catarina, para conviver com centenas de amigos e familias num mega piquenique onde não faltavam os ovos verdes da minha saudosa avó Maria e os borrachões que adoro.

santa catarina.jpg

 

Nem tudo está esquecido... espero que a minha tia me faça uns ovinhos verdes para domingo, e espero os borrachões que a minha colega Isabel Rebelo me trará para a semana das terras de Idanha.

E não me posso esquecer dos ovinhos de chocolate que me ofertavam enquanto era criança e das "amêndoas" de licor que toda a gente adora e que a minha avó Elisa trazia de Lisboa, nessa altura em que Lisboa parecia um país distante da Azóia.

E são estas as minhas tradições...

 

E o Cante Alentejano é Património Mundial

Dezembro 01, 2014

E na passada sexta-feira ficou a conhecer-se os resultados da Unesco às candidaturas a Património Imaterial da Humanidade, e com surpresa minha o Cante Alentejano foi "premiado".

Em primeiro lugar claro que devo dar os parabéns a toda a comitiva, autarquias, coletividades, instituições e grupos corais que abraçaram esta candidatura com garras e dentes e que alcançaram mais um feito para o nosso país.

Quero ainda fazer um reparo às centenas, ou milhares de pessoas que através das redes sociais parabenizaram esta causa. Mas esses individuos realmente escrevem com conhecimento de causa? Parece-me que não.

Infelizmente é este o nosso povo, o nosso país... Depois de prémios já toda a gente dá valor a algo que já devia ser louvado há muito tempo. Primeiro passou-se com o Fado, depois o prémio do carlos do Carmo - Grammy, depois todos os louvores a artistas nacionais reconhecidos mundialmente, e agora o Cante. Mas antes ninguém gostava, as pessoas odiavam, não ligavam, e agoram amam?

Isto irrita-me um bocadinho. Desde muito novo que estou ligado ao meio artistico - Teatro, primeiro como actor e hoje em dia como autor e encenador das minhas produções. Em todas elas tento dar um cunho português, fados, cantigas, danças tradicionais, o erudito e o popular.

É isso que todos nós devemos fazer: dar a conhecer a nossa cultura tradicional e popular, quer a estrangeiros mas sobretudo aos portugueses mais desinteressados.

São a cultura e a tradição que fazem um povo, um país...

Bem sei que neste momento, provavelmente somos um exèrcito sem comandante (onde é que anda um ministro da cultura?) mas temos de caminhar a passos largos para a frente de guerra, lutar, cair, erguer-nos e por fim vencer.

Para terminar, uma grande força a todos aqueles, desde os mineiros alentejanos que começaram a cantar este "Cante" até a todos os individuos que lutam por tão nobre Causa - A minha Cultura!.

about me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D